<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Congresso do PCP aprova marxismo-leninismo-bimbysmo

30 novembro, 2008

Comunistas acreditam que a Bimby os pode levar ao poder.

Numa decisão histórica, os delegados ao XVIII Congresso Nacional do PCP aprovaram uma proposta que defendia juntar às - até agora intocáveis - teorias estruturantes de Marx e Lenine o potencial prático da Bimby. «Os camaradas Marx e Lenine continuam a ser as nossas referências, mas num mundo em que, nos últimos tempos, até o Sarkozy aplica medidas socialistas, é importante que nos afirmemos», declarou Jerónimo de Sousa, esclarecendo depois, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «A única forma de serem os comunistas a aplicar os ideais comunistas, ou seja, de chegarmos ao poder, é meter na Bimby a insatisfação do proletariado, a arrogância da burguesia, a união dos trabalhadores da cidade e do campo e a mentalidade revolucionária, e finalmente esperar cerca de 20 minutos, para obter uma deliciosa sociedade sem classes!»

Comunistas depositam esperanças na Bimby [foto E. Calhau]

O secretário-geral comunista explicou ainda que esta inesperada mudança nos alicerces da doutrina do PCP representa, na sua perspectiva, um triunfo: «Afinal, o PCP sempre teve razão, como reconhecem até os neoliberais. E agora que, com a aquisição de uma Bimby, passamos a dominar também os meios de produção, vamos ser imparáveis! Com o marxismo-leninismo-bimbysmo, vai ser o PCP a picar, ralar, cortar, bater, amassar, moer, triturar, pesar, emulsionar e cozinhar as políticas para o país». Depois de catalogar a Bimby como «a revolução mais pequena do mundo», Jerónimo de Sousa revelou ainda a sua esperança de que a nova doutrina dos comunistas portugueses lhe dê «mais tempo para fazer coisas para além da actividade partidária, como escrever poesia neo-relista ou fabricar protecções hidráulicas para sistemas de abastecimento de água».
Depois de dois dias de intervenções públicas, os delegados aprovaram ainda uma alteração ao hino do PCP, "A Internacional". «Alterámos a frase inicial, porque, agora com a Bimby, já não há propriamente vítimas da fome... Por isso, "A Internacional" vai passar a arrancar com 'De pé, ó pessoas que não são ainda proprietárias de uma Bimby'... Lixa um bocado a métrica, mas como a malta de Esquerda já está habituada às canções do Sérgio Godinho...», declarou o líder dos comunistas.
O XVIII Congresso do PCP – o primeiro desde a morte de Álvaro Cunhal – ficou também marcado por uma homenagem ao antigo líder, celebrado com um longo aplauso. Questionado sobre se Cunhal não desaprovaria a introdução da Bimby no ideário do partido, o actual secretário-geral reagiu com um entusiástico «Olhe que não! Olhe que não!»

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Batman 'morre' depois de recorrer ao SNS português

27 novembro, 2008

Se quer esperar pela edição portuguesa, não leia este texto... não gostamos de pessoas sem vida social.

Estava anunciado o fim de Batman como o conhecemos, com Grant Morrison, o actual argumentista da série, a afirmar que Bruce Wayne teria um destino «pior do que a morte». E foi mesmo isso que aconteceu: o Cavaleiro das Trevas morreu depois de duas horas à espera nas urgências do Hospital Amadora-Sintra, apurou, em rigoroso exclusivo, o Jornal do Fundinho.
Mas o início do fim de Batman, tal como revelado em "R.I.P. Batman", a mais recente história do super-herói, ontem publicada, começou três dias antes e foi marcada por uma longa aventura no Sistema Nacional de Saúde. Naquele dia, Bruce Wayne, sofrendo de uma constipação, foi consultado pelo seu médico de família, no Centro de Saúde da Damaia - e aqui reside, para alguns fãs, o grande mistério deste enredo: o que fazia Wayne na Damaia? Os rumores na Internet fizeram surgir os mais diversos cenários. Num site de apostas online, uma das mais rentáveis aponta para uma enorme conspiração urdida pelo vilão Black Glove, mas a hipótese considerada mais provável é a autora destas linhas não ter tido imaginação para encontrar uma justificação plausível.
Depois de o médico de família o ter mandado para casa sem qualquer tratamento, após uma consulta de dois minutos, Wayne/Batman começou a sentir-se cada vez pior, tendo voltado no dia seguinte ao Centro de Saúde. Com o seu clínico ausente, por ter entretanto viajado para a Polinésia, sem dúvida para participar num importante congresso médico, Bruce Wayne foi então consultado por um médico estagiário que, ignorando a tosse persistente e a febre, mandou o super-herói para o Miguel Bombarda, por este usar as cuecas por cima das calças.
Depois de se evadir daquele hospital psiquiátrico, graças a um elaborado plano que consistiu em, basicamente, sair pela porta principal sem que ninguém lhe perguntasse nada, Batman dirigiu-se para as urgências do Amadora-Sintra, onde deu entrada de madrugada. Após uma espera de cinco horas, devido a ter-lhe sido atribuída uma senha verde graças a uma avaria no sistema de triagem de Manchester, o Cavaleiro das Trevas foi visto por um jovem médico português que passou mais tempo a olhar para as pernas de uma colega espanhola do que para ele. Mandado regressar para a sala de espera, com uma espátula na boca e um termómetro debaixo do braço, Batman morreria cerca de 24 horas depois, com um ataque de coração fulminante provocado por uma infecção hospitalar. Deram por ele dois dias depois, quando um dos seguranças adormeceu para cima do seu corpo.
Com o falecimento de Bruce Wayne, diversos fãs, que por esta altura inundam os fóruns online, já estão a tentar prever quem o substituirá como Batman. Há especulação, alimentada pela própria editora DC Comics, de que poderá ser Robin ou um Batman do futuro. E há mais especulação, alimentada pelo Ministério da Saúde, de que será a ministra Ana Jorge. Dentro da mesma linha, há também quem aposte num regresso do mundo dos mortos de Correia de Campos. E depois existe ainda a hipótese de aparecer um herói completamente novo, o Super-Magalhães, mas esta é referida apenas por um usuário com o nickname ZeSokratx.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Consumo de droga está a aumentar entre os MONSTROS, ENORMES MONSTROS QUE ME ESTÃO A PERSEGUIR!

26 novembro, 2008

Dados do IDT são claros... e verdes e amarelos e a rodar muito rapidamente.

O número de portugueses que já consumiu drogas aumentou de 7,8 para 12 por cento entre 2001 e 2007, de acordo com o relatório anual do Instituto da Droga e Toxicodependência (IDT), que esta jovem toda sexy em bikini que está aqui à minha frente tem nas mãos. «São dados preocupantes, que deveriam levar a uma profunda reflexão na sociedade», declarou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, um enorme dinossauro azul com bolas roxas.
A droga mais usada é a cannabis, que foi consumida por 7,6 por cento da população em 2001 e aumentou para 11,7 por cento em 2007, o que é mesmo deprimente, mas tão deprimente que até dá vontade de chorar. Entre os jovens e jovens adultos (dos 15 aos 34 anos), os índices de consumo de estupefacientes passaram de 12,6 para 17,4 por cento, prova evidente de que todo o mundo me detesta e me quer prejudicar.
Os dados do IDT colocam Portugal em oitavo lugar numa lista de 11 países da União Europeia, quando é analisada a percentagem de pessoas que consumiu droga pelo menos uma vez na vida. A média europeia é de... SOCORRO! MILHÕES DE MONSTROS HORRÍVEIS E COM GARRAS ENORMES ESTÃO A CORRER ATRÁS DE MIM!

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Processo Casa Pia perto do fim, mas arguidos defendem que o julgamento ainda é uma criança

24 novembro, 2008

Procurador do Ministério Público foi a figura do dia, mas arguidos também se fizeram notar.

Tiveram hoje início as alegações finais do processo de pedofilia da Casa Pia, mas apesar de o mesmo já durar há mais de cinco anos, há quem considere que não passou tempo demais. «Cinco aninhos? Ui, ainda tem pelo menos mais outros cinco pela frente até ficar no ponto», comentou o apresentador de televisão Carlos Cruz, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, antes de começar a chorar. Também Manuel Abrantes, antigo provedor da instituição, fez questão de esclarecer que, por ele, o processo teria demorado ainda mais tempo: «Recordei tantas boas lembranças nestes longos meses que durou o julgamento... Bons tempos, os que passei na Casa Pia, bons tempos. Hoje em dia, todos os meus parceiros sexuais têm barba».
Esta fase processual arrancou com a intervenção do procurador do Ministério Público João Aibéo, que discorreu longamente sobre a sua convicção da culpa dos arguidos, considerando-se o sujeito processual que lidou com mais factos. Esta afirmação motivou um dos momentos de maior agitação da manhã, com o ex-embaixador Jorge Ritto a pedir que lhe trocassem aquela frase «por miúdos». O antigo motorista Carlos Silvino ofereceu-se para o fazer, «como no antigamente», mas foi mandado calar pelo advogado Hugo Marçal. Outro episódio de particular tensão ocorreu quando a proprietária da famosa casa de Elvas, Gertrudes Marçal, se queixou de que a burca que usa há cerca de cinco anos não a deixava «ver puto».
Nas alegações apresentadas por Aibéo, foi destacado o depoimento do pedopsiquiatra Pedro Strecht, recordado pelo procurador como «uma pessoa que deu a cara», frase que provocou um evidente burburinho no banco dos arguidos, que sorriram e trocaram entre si várias frases em voz baixa, tornando impossível para a assistência perceber algo mais do que as palavras dar e cu.
João Aibéo terminou a sua intervenção lembrando que, com o arranque deste período decisivo para o desfecho do processo Casa Pia, é provável que venham a suceder-se posts diversos num elevado número de blogues sobre o caso, mas que dificilmente algum terá tantas referências subtis e parvas a pedofilia quanto este.

Etiquetas: ,

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Comunicado de Cavaco sobre BPN fazia parte do simulacro

23 novembro, 2008

Protecção Civil identificou fragilidades e já apresentou soluções.

O Presidente da República colaborou hoje no simulacro de sismo que decorreu nos últimos três dias, ao emitir um comunicado onde condena as tentativas de associar o seu nome à situação do BPN. «Este comunicado é tão atabalhoado e tão despropositado que é mais catastrófico do que um terramoto com uma magnitude de 6,6», comentou o comandante operacional nacional da Protecção Civil, Timóteo Furacão, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
No simulacro que decorreu nos distritos de Lisboa, Setúbal e Santarém, entre sexta-feria e domingo, registaram-se 281 'mortos', 895 'feridos' e 808 'desaparecidos' fictícios. Mais de meia centena de pessoas 'morreram' em consequência directa do comunicado de Cavaco Silva, com ataques de riso provocados pela ausência de qualquer referência a Dias Loureiro. Recorde-se que há cerca de quatro meses o Presidente havia já matado de tédio milhões de portugueses que assistiram à sua comunicação sobre o Estatuto Político-Administrativo dos Açores.
A Protecção Civil admitiu entretanto que os resultados apurados com este que foi o maior simulacro de sismo alguma vez realizado em Portugal apontam para várias fragilidades que importa corrigir no futuro. Segundo Timóteo Furacão, «a mais importante será a de nunca mais eleger o Cavaco e a sua corte de amigalhaços vigaristas para nenhum cargo público, por isso espero que a população portuguesa não se esqueça tão cedo deste terramoto...»

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Afinal Ferreira Leite não quer interrupção de seis meses na democracia

19 novembro, 2008

Diz que, depois de fazer as contas, consegue pôr toda a gente na linha em apenas quatro.

Depois de ter sugerido que podia ser positiva uma pausa de seis meses na democracia portuguesa, Manuela Ferreira Leite, reconheceu hoje, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, ter cometido um erro. «Cheguei a casa e sentei-me com um lápis e uma folha de papel à frente e, depois de fazer umas contas, concluí que afinal não preciso de mais de quatro meses para dizer como é que se faz e pôr ordem nesta coisa», declarou a presidente do PSD, acrescentando: «Eu não quero acabar com o sistema democrático, apenas interrompê-lo durante algum tempo e depois fazer o mesmo que eu defendo para os casamentos homossexuais, que é dar-lhe outro nome... Assim depois dos quatro meses, a democracia passava a chamar-se ditadura, e eu sou contra qualquer forma de ditadura! Por isso, nessa altura vinha aquilo a que eu chamaria democracia, aquele sistema em que eu mando em tudo e pronto».

Ferreira Leite esclareceu posição sobre democracia [foto E. Calhau]

No seguimento destas declarações, o secretário-geral do PSD convocou de imediato uma conferência de imprensa para defender que a líder do partido estava a ser irónica. Quando esclarecido pelos jornalistas de que ironia não é dizer exactamente o que se pensa, Luís Marques Guedes afirmou: «Ai não? Eh pá, então peço desculpa por vos ter feito perder tempo».
Quem também já reagiu às declarações de Ferreira Leite foi o primeiro-ministro José Sócrates, que as considerou inaceitáveis: «Interromper a democracia? Mas quando é que ela foi retomada? E quem é que fez isso sem eu ter dado ordem?»

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Leilão do espólio de Pessoa causa reacções diversas

15 novembro, 2008

Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro já tomaram posição

O leilão de parte do espólio de Fernando Pessoa, que decorreu anteontem no Centro Cultural de Belém, continua a dar que falar. Depois de uma tentativa da Câmara Municipal de Lisboa para impedir a sua realização, apresentando uma providência cautelar, e de parte das peças não terem sido licitadas, são agora os heterónimos pessoanos que não se entendem quanto ao destino a dar ao conjunto dos objectos pertencentes ao seu ortónimo, segundo apurou, em absoluto exclusivo, o Jornal do Fundinho.
«O que há a dizer sobre tudo isto? Adianta que eu diga algo? Se não disser, é indiferente? E não é tudo indiferente? E inútil. E se tudo é inútil, este leilão é inútil, como inútil será eu considerá-lo inútil ou considerá-lo outra coisa qualquer. Eu não acredito em classificar nada como sendo alguma coisa. Aliás, eu não acredito em nada», afirmou Álvaro de Campos, antes de se despedir com um «Adeus ó Esteves!»
Já o heterónimo Ricardo Reis definiu toda esta situação como «mais uma prova da passagem da vida, que por isso devemos contemplar e aceitar, sem a questionar constantemente». Reis quis ainda referir-se à possibilidade de o Estado vir a exercer o direito de preferência sobre alguns dos lotes leiloados: «Aceitemos tranquilamente o cheque que vier parar às nossas mãos, venha ele de onde vier. E pensemos em todo o prazer que conseguiremos pagar com a choruda verba que nos permitirá governar-nos e à nossa libido e fome até ao fim inexorável».
A possível aquisição pelo Estado dos bens de Pessoa foi, de resto, o único tema que Alberto Caeiro aceitou abordar, declarando que «a possível compra pelo Ministério da Cultura não é mais do que uma compra pelo Ministério da Cultura... se alguém vê mais do que uma compra, é porque o que de mais vê existe em si mesmo». Aquele que é considerado o mestre entre os heterónimos pessoanos não quis também esclarecer qual das peças a leilão seria a mais valiosa para si: «Uma contracapa é só uma contracapa. As contracapas existem, mas não são mais do que a superfície ligada à lombada que costuma conter um texto de apresentação e diversos outros elementos... Quem alguma vez inferiu mais do que isto de uma contracapa está doente dos olhos».
Nenhum dos heterónimos de Fernando Pessoa quis comentar a presença no leilão do semi-heterónimo Bernardo Soares, que, por seu turno, entendeu também não prestar declarações, a não ser para desmentir que estivesse acompanhado por Vicente Guedes. «Pessoa que, aliás, nunca vi mais gordo», declarou.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 1 comentário(s) |

Galinhas exigem o fim da contestação à ministra da Educação

14 novembro, 2008

Arremesso de ovos deixa aves à beira do desespero.

O Sindicato Nacional das Galinhas Poedeiras exortou hoje estudantes e professores a acabaram com a contestação à ministra Maria de Lurdes Rodrigues, a qual, nos últimos dois dias, levou já ao arremesso de cerca de quatro centenas de ovos contra as viaturas da ministra da Educação e dos seus secretários de Estado. «A este ritmo, não conseguimos garantir o fornecimento de ovos às grande superfícies e aos mercados nem que estejamos com o cu levantado 24 horas por dia!», protestou a presidente do sindicato, Adélia Omelete, em conferência de imprensa.

Galinhas anunciaram posição em conferência de imprensa [foto E. Calhau]

Já em exclusivo para o Jornal do Fundinho, a dirigente sindical explicou melhor as suas preocupações: «Isto é inadmissível. Não tenho nada contra os protestos, que eu não me meto nos assuntos de outras capoeiras, mas atirem tomates ou sacos de urina, como os jogadores da Selecção faziam ao Nuno Luz nos tempos do Oliveira. Mas ovos, não. O dono da minha exploração, à conta disto, obriga-me a estar a pôr ovos o dobro do tempo... Já tenho a cloaca toda em chaga»!
Adélia Omelete referiu ainda que, se a situação se mantiver, os galináceos estão dispostos a entrar em greve, e deixa mesmo um aviso aos contestatários: «Se querem fazer manifs e tal, é melhor não contarem com o ovo no cu da galinha».

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Constâncio diz que talvez existam algumas pequenas irregularidades no BPN

13 novembro, 2008

Críticas sobem de tom, mas governador mantém-se inflexível.

O governador do Banco de Portugal revelou hoje, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que tem «uma impressão que talvez se passem uma ou duas coisitas estranhas no BPN». Vítor Constâncio preferiu, porém, manter-se prudente: «Não quero com isto dizer que a falcatrua impere há anos e anos naquela instituição bancária, que os sucessivos directores tenham usado e abusado de arbitrariedades, que o banco tenha ocultado a existência de uma sua instituição em Cabo Verde, que tivesse mantido créditos e activos não registados em nenhuma entidade e realizado diversas operações clandestinas, ou desviado milhões de Euros através de veículos off-shore... Não consigo ver nada que me indique isso, só me cheira um bocadinho a esturro».
Confrontado com o facto de terem sido as evidentes irregularidades verificadas no BPN que levaram à sua nacionalização, Constâncio considerou que a decisão «talvez tenha sido um bocadinho prematura, talvez devêssemos ter esperado mais algum tempo, coisa pouca, só mais quatro ou cinco anos, só para termos a certeza do que se passava». O governador do Banco de Portugal diz que, mesmo assim, se vai manter atento para evitar problemas futuros e que, caso sinta a necessidade, admite mesmo «fazer alguma coisa, não sei ainda muito bem o quê, mas se calhar algo ao nível de mexer o rabo do cadeirão».
Vítor Constâncio reiterou ainda que não encontra razões para se demitir, ao contrário do que tem sido exigido pelos partidos da oposição. «Nas minhas funções, é evidente que devo intervir sempre que se verifiquem irregularidades graves no sistema financeiro. Mas desafio os meus críticos a mostrarem-me onde é que está escrito que não posso levar uma década ou duas até o fazer!», declarou, visivelmente irritado.

Etiquetas:

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

Ministra da Educação pede que lhe atirem espinafres e beterraba na próxima manifestação

12 novembro, 2008

Professores, alunos e Ministério ainda não encontraram a receita para o fim do conflito.

Depois de, ontem, cerca de 200 jovens de uma escola secundária de Fafe terem atirado ovos contra o seu carro, Maria de Lurdes Rodrigues veio hoje pedir que, numa próxima manifestação, lhe arremessem «12 filetes de anchovas, uma mão-cheia de espinafres e algumas tiras de beterraba». No mais rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, a ministra explicou ainda que a sua resposta aos cada vez maiores protestos de professores e alunos «será confeccionar um delicioso prato de ovos cozidos com espinafres».

Ministra diz ter receita para a crise na educação [foto E. Calhau]

A responsável pela pasta da Educação explicou também que se mantém aberta ao diálogo: «Se os senhores professores e os senhores alunos preferirem, porém, atirar-me com cebolas, caldos de galinha e pacotes de pimenta, terei todo o prazer em preparar em alternativa uns ovos picantes, que até são uma especialidade minha. Eu não gostava era de desperdiçar os ovos que aqueles simpáticos alunos de Fafe me ofereceram». Depois de ter manifestado também disponibilidade para incluir na sua política de governação a tortilha com salame, os ovos cheios com presunto e o soufflé de ovos, Maria de Lurdes Rodrigues negou ser esta abertura para cozinhar pratos alternativos um recuo do seu Ministério: «Não há recuo nenhum. Eu hei-de fazer os ovos cozidos com espinafres, nem que seja só daqui a quatro anos. Ninguém suspende os meus ovos cozidos com espinafres, está a ouvir?»
Instado a comentar a posição da ministra da Educação, o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, afirmou que a mesma não satisfaz os sindicatos, pelo que estes manterão e até intensificarão os protestos. «Não vamos em ofertas que são pouco mais do que entradas e que não nos matam o apetite. Os professores estarão de novo na rua, muito em breve, para exigir que a ministra os trate com respeito e lhes cozinhe, no mínimo, um macarrão com ovos!» Também Manuel Alegre, histórico dirigente socialista e empresário de Luís Figo, criticou a governante pelos seus «tiques autoritários, sempre com a mania de que é ela que manda na cozinha».

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Leopoldina acusada de pedofilia pela Popota

09 novembro, 2008

A tensão cresce entre as duas principais figuras da guerra dos brinquedos para o Natal.

Popota, a mascote dos supermercados Modelo junto dos mais novos, acusou a sua congénere da cadeia Continente, a avestruz Leopoldina, de usar a campanha de Natal de 50% de desconto em cartão em todos os brinquedos como engodo para atrair crianças para práticas pedófilas. «Eu bem que a vi a andar no meio dos brinquedos, pelos corredores cheios de meninos e meninas, a oferecer-lhes chupa-chupas e rebuçados... Ora, um passarão que se tenta dar ares de jovem e que passa a vida rodeado de crianças a quem oferece doces... A Leopoldina só seria mais pedófila se vestisse um impermeável vermelho e tivesse o cabelo cortado à escovinha», acusou a simpática hipopótama, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
A avestruz Leopoldina não quis, para já, reagir às acusações, mas o seu agente, o jogo + CD "Leopoldina no Jogo do Planeta Azul" - já à venda em qualquer hipermercado Continente - afirmou que «se eu tivesse um nome que parece uma designação popular para uma parte da anatomia feminina, eu ficava mas era calada!»
Felícia Cabrita, a única pessoa em Portugal que pode dizer se alguém é ou não pedófilo, não quis para já dar a sua opinião sobre este caso, embora tenha reconhecido que existem alguns comportamentos de Leopoldina que considera estranhos: «O bicho tem uma certa predilecção por florestas e selvas para as suas aventuras... Não sei, mas parece-me que anda sempre obcecada pela ideia de ir para detrás dos arbustos com uma ou mais crianças...»
Este é o mais recente episódio da crescente rivalidade entre as duas mascotes das superfícies comerciais da Sonae, o que levou mesmo, no ano passado, à intervenção de Belmiro de Azevedo, ameaçando mandar a avestruz Leopoldina para uma caixa do MaxMat caso esta continuasse a referir-se a Popota como «a gorda do mini-mercado».

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Teixeira dos Santos quer nacionalizar balneário do Sporting

06 novembro, 2008

Ministro não quer o mínimo sinal de crise em Portugal.

O ministro das Finanças anunciou hoje que o Governo vai propor à Assembleia da República a nacionalização do balneário do Sporting, tendo em conta a crise que ali se vive, com sucessivos casos em torno de Stojkovic, Vukcevic, Miguel Veloso e Yannick Djaló. Em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Teixeira dos Santos justificou aquela que é segunda nacionalização numa semana mas apenas a segunda em Portugal desde 1975: «O Governo não pode assistir impávido e sereno à manifestação de sinais de crise, venham eles de onde vierem. Assim, e face à inexistência de uma solução que permita defender o interesse dos sócios e simpatizantes do Sporting, isto é, não tendo o clube dinheiro para contratar um treinador decente, vemo-nos obrigados a promover a nacionalização do balneário».
Questionado sobre quais os sinais mais fortes que levaram a esta decisão, o ministro falou dos «olhos tristes do Vukcevic na bancada e o facto de o Veloso já nem ter disposição para fazer penteados aparvalhados... ninguém poderia ficar indiferente a estes sintomas evidentes de crise». Teixeira dos Santos frisou ainda que o balneário do Sporting «tem vindo a ter problemas de liquidez, isto é, é líquido que o Paulo Bento não tem mãos para aquilo, e apresenta uma situação de iminente ruptura de pagamentos, ou seja, qualquer jogador faz e diz o que lhe apetece mas quem paga são sempre os mesmos».
Considerando que a situação do Sporting é excepcional, o ministro das Finanças rejeitou que pretenda fazer uma intervenção semelhante na Selecção Portuguesa, onde as coisas também não andam bem: «Nunca me passou pela cabeça nacionalizar a Selecção! Toda a gente sabe que o Madaíl é o dono daquilo!»

Etiquetas:

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

Manuel Monteiro descobre sem querer o que leva os cidadãos a afastarem-se da política

05 novembro, 2008

Presidente da Nova Democracia provocou grande interesse dos jornalistas.

No dia em que fez saber que vai abandonar a liderança da Nova Democracia para se candidatar às legislativas por Braga, Manuel Monteiro anunciou como primeira iniciativa pública da sua candidatura um debate com Pedro Abrunhosa e Manuel Serrão sobre o que leva os cidadãos a afastarem-se da política. Dois minutos após este anúncio, reflectiu em voz alta, exclusivamente para o Jornal do Fundinho: «Porra! Acho que o que afasta a malta da política são os debates comigo, o Abrunhosa e o Serrão!»
A demissão de Monteiro será formalizada na reunião do Conselho Geral do partido no próximo dia 15 em Santa Maria da Feira, cabendo àquele órgão encontrar uma solução. «Não antevejo dificuldade em encontrar o meu sucessor, mesmo dentro da actual Direcção. A Nova Democracia tem menos vice-presidentes desaparecidos do que o PP», comentou o criador do famoso site humorístico Pergunte ao Manel.
O anúncio hoje protagonizado por Manuel Monteiro motivou a curiosidade de vários jornalistas que, depois da declaração inicial, passaram cerca de três horas a ouvir o ainda presidente da Nova Democracia a tentar explicar quem raios era ele.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Partido Republicano: Obama não pode ser presidente porque é preto

Sarah Palin diz que não existe desespero algum entre os republicanos.

Confirmada a vitória do democrata Barack Obama nas presidenciais norte-americanas, começaram já a surgir as reacções iniciais do lado republicano. Sarah Palin, candidata a vice-presidente, foi a primeira a prestar declarações: «Hoje os verdadeiros americanos falaram e decidiram votar em mim... em John McCain! O senador Obama só teve mais votos se contarmos com os pretos, que, como toda a gente sabe, nem sequer deviam ter direito a voto», declarou a governadora do Alasca ao Jornal do Fundinho, em rigoroso exclusivo, acrescentando: «Aliás, mesmo que ele tivesse tido a maioria, nunca poderia tomar posse, por uma razão completamente distinta daquela que referi anteriormente, e que é o facto de ele ser preto».
A vice de McCain fez depois questão de desmentir que esta postura seja reflexo de um certo desespero que tomou conta das hostes republicanas após a derrota: «Desespero? Quer que eu lhe mande um tiro nas hastes como se fosse um alce?» Palin referiu ainda que «do que a América precisa é de americanos a sério nos cargos públicos, homens como o senador Arnold Schwarzenegger, e não de tipos com nomes esquisitos nascidos em países que eu não consigo avistar do Alasca».
Sarah Palin reforçou finalmente que a sua tomada de posição assenta em pressupostos firmemente sustentados - «É que o Obama é mesmo preto, não sei se já vos disse» - e recusou que esteja a pretender lançar uma cortina de fumo sobre os erros cometidos pela campanha republicana nestas eleições, nomeadamente na sua escolha para candidata à vice-presidência: «Cortina de fumo? Qual cortina de fumo? Já agora, já lhe mostrei a minha imitação da Tina Fey?»
Neste momento, aguarda-se a reacção do candidato John McCain, o que deverá acontecer quando ele conseguir parar de chorar por ter escolhido Sarah Palin como companheira de corrida, lá para 2015.

Etiquetas: ,

Pinto da Cruz | 0 comentário(s) |

Agressões a Leonor Cipriano: inspectores exigem reconstituição

04 novembro, 2008

Advogado dos arguidos diz que só quer apurar a verdade e não passar um bom bocado.

Os inspectores e ex-inspectores da Polícia Judiciária que estão a ser julgados por tortura a Leonor Cipriano, e outros crimes relacionados, exigiram hoje que seja feita uma reconstituição das agressões de que são acusados. «Queremos que as coisas sejam claras. Ela diz que foi agredida, nós achamos que ela caiu pelas escadas. Como não queremos que nos acusem de insensibilidade, até dizemos: deixem-nos primeiro atirá-la por uma escadaria abaixo que, se ela ficar com umas marcas iguais às que tinha, já nem vamos precisar de lhe dar um enxerto de porrada», afirmou o advogado de defesa Adalberto Fingido, em declarações exclusivas para o Jornal do Fundinho.
Leonor Cipriano defende ter sido agredida pelos inspectores no âmbito das investigações sobre o desaparecimento da sua filha Leonor, em Outubro de 2004, versão confirmada pela médica da Prisão de Odemira, que afirma que a maior parte das lesões de Leonor terão sido feitas com objectos planos e não cortantes. Fingido não contesta, mas diz querer provas: «Mais uma vez, estamos dispostos a testar todas as teorias. Foi com objectos não cortantes? Muito bem, eu tenho lá em casa um pau de marmeleiro que pode perfeitamente servir para testar isso, as vezes que forem precisas!» Olhos inchados e grandes hematomas nas costas e no peito são algumas das marcas que, segundo a médica, as agressões terão deixado. «Os meus clientes tinham na altura largos anos de serviço na Judiciária. É uma ofensa ao seu brio profissional sequer sugerir que eles não eram capaz de dar verdadeiros arraiais de pancadaria sem deixar qualquer marca», refuta o advogado dos arguidos.
O processo da alegada tortura a Leonor Cipriano por inspectores da Polícia Judiciária está relacionado com o denominado caso Joana, a menina de oito anos que desapareceu da aldeia de Figueira, no Algarve, em 2004. Os inspectores estão agora sentados no banco dos réus dada a enorme credibilidade de Leonor, que primeiro tinha matado a filha e depois já não tinha, primeiro tinha sido agredido e depois já não se lembrava por quem e depois afinal já se lembrava outra vez mas afinal tinha sido só pelo Gonçalo Amaral e que ainda há-de recordar-se que este lhe disse que matou a Maddie.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Associação Alzheimer Portugal celebra... hmmm... vá, uma coisa

03 novembro, 2008

Presidente diz nunca ter estado tão feliz, pelo menos que se lembre.

A Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer - Alzheimer Portugal - está actualmente a assinalar os 20 anos da sua constituição, com diversas actividades relacionadas com esta doença regenerativa. «Ai está? Que interessante! E eu posso assistir a alguma dessas actividades?», declarou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, a presidente da instituição. Maria do Rosário Zincke dos Reis revelou ainda, depois de lhe explicarmos quem ela era, que está muito feliz com o balanço destas duas décadas, que afirma ser bastante positivo: «Têm sido anos marcados por muito trabalho e muito empenho na tentativa de ajudar a sociedade a lidar com esta doença... Doença? Está alguém doente? Quem é que está doente? É alguém que eu conheça?»
Entre os eventos previstos para assinalar a data, está um seminário sobre a doença de Alzheimer e outras demências. «Vamos ter muitos especialistas presentes, mas foi bastante difícil fazer as confirmações, porque sempre que eles iam dar uma resposta definitiva as nossas secretárias perguntavam de novo se eles vinham ou não... É que uma das características dos doentes de Alzheimer é perguntar a mesma coisa centenas de vezes... Mas eu não faço isso, pois não? Mas eu não faço isso, pois não? Mas eu não faço isso, pois não? Mas eu não faço isso, pois não? Mas eu não faço isso, pois não? Mas eu não faço isso, pois não? Mas eu não faço isso, pois não?», explica Maria do Rosário.

Doentes de Alzheimer tendem, por exemplo, a esquecer promessas [foto E. Calhau]

Estima-se que, em Portugal, mais de 70 mil pessoas sofram desta doença, mas a situação tende a agravar-se ainda mais, segundo a presidente da Alzheimer Portugal: «Em 2040 os números terão duplicado ou mesmo triplicado. Agora, se eu me recordasse quantas pessoas é que eu há bocadinho lhe disse que têm a doença neste momento, até fazia as contas...», revela, acrescentando que «existem medicamentos que retardam a evolução da doença, que atenuam os sintomas, que... Que bela gravata que o senhor tem, onde é que a comprou? Gravata, qual gravata? O que é uma gravata?»
Questionada sobre se fazer piadas com a doença de Alzheimer não seria uma coisa parva e infantil, Maria do Rosário Zincke dos Reis disse que não tinha dúvidas de que era algo de gosto bastante duvidoso, concluindo: «Se eu daqui por dois minutos me conseguisse lembrar deste texto, punha-lhe um processo em cima!»

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Assessores de Sócrates têm todos dedos minúsculos

01 novembro, 2008

Revelado o segredo da preferência pelo Magalhães.

Depois de, durante a XVIII Cimeira Ibero-Americana, ter revelado que todos os seus assessores usam o portátil Magalhães porque «não precisam de mais nada», José Sócrates explicou hoje, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, que tal acontece porque os seus colaboradores dispõem de «dedos mesmo minúsculos, do tamanho de uma criança de seis anos, para os quais são ideais aquelas teclas pequenitas». O primeiro-ministro referiu ainda outras características deste computador para os mais novos que atraem os membros da sua equipa: «É uma máquina resistente ao choque, o que é óptimo quando os meus assessores precisam de atirar com o Magalhães contra a cabeça de algum jornalista mais espevitado... E reparem que eu usei a palavra máquina em vez de computador, o que prova, de uma vez por todas, que sou engenheiro!»
Sócrates aproveitou também a ocasião para revelar que todo o seu staff de apoio passou recentemente a realizar chamadas telefónicas exclusivamente através do MO1, o telemóvel para crianças da Imaginarium, a fazer brindes apenas com Champomy, o champanhe para miúdos, a ouvir música unicamente através do Mix Stick, o leitor de MP3 da Disney, e a fumar somente cigarros de chocolate.
O primeiro-ministro regressou hoje de El Savador, onde decorreu a Cimeira Ibero-Americana, mas ainda não teve tempo para receber a comissão pelos Magalhães que conseguiu vender na América do Sul, apesar de os seus patrões da JP Sá Couto já terem afirmado que nunca tiveram um comercial tão bom.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes