<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Mariano Gago promete denunciar ministros que promovam ou pactuem com praxes violentas

23 outubro, 2009

Governo prepara-se para iniciar nova legislatura mas ministro não quer que se repitam exageros do passado.

O ministro do Ensino Superior, Mariano Gago, prometeu hoje denunciar ao Ministério Público todos os membros repetentes do novo Governo que venham a praxar os seus novos colegas ou que pactuem, mesmo que por omissão, com essa prática. «Indignam-me a humilhação e o fascismo associados a muitas praxes, com ministros a serem obrigados a simular casamentos homossexuais ou a terem de correr muito depressa à volta de São Bento a fingir que são o TGV», explicou o governante, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
Condenando a esmagadora maioria das actividades de praxe que, no início de cada legislatura ou sempre que se procede a uma remodelação governamental, envolvem os novos ministros, Gago denunciou que «existem inúmeros casos de humilhação e coacção de todo o tipo, que não são admissíveis na sociedade portuguesa… lembro-me de, há quatro anos, o Jaime Silva ter sido obrigado a retirar com os dentes, de dentro de um balde com bosta de vaca, um cheque dos fundos europeus… nunca mais conseguiu tocar em dinheiro vindo de Bruxelas». O ministro revelou ainda que dirigiu hoje uma comunicação a todos os ministérios, na qual reforça uma mensagem de combate àquelas praxes que, «embora afirmando uma intenção de integração dos novos membros do Governo, mais não são que práticas de humilhação e de agressão física e psicológica com que este executivo não pode ser conivente, a menos que sejam exercidas sobre jornalistas que dizem mal de nós».
O Conselho de Veteranos de São Bento, responsável pela promoção da praxe, reagiu já às declarações de Mariano Gago, no estilo truculento já habitual do seu presidente. «Esse copo de leite do Mariano que se deixe de coisas. Como é que se pode achar que não é divertido malhar nos ministros caloiros?», pergunta Augusto Santos Silva, que acrescenta que «a praxe ajuda à integração, e até posso dar o exemplo da Maria de Lurdes Rodrigues, que, depois de levar com uns ovos nas trombas quando entrou para o Governo, ficou logo mais preparada para o que lhe ia acontecer no futuro».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

São Marcos diz que livros de Saramago são manuais de mau Português

19 outubro, 2009

«E ainda são chatos como a potassa», acrescenta o santo católico.

São Marcos afirmou hoje, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que «os livros de José Saramago são manuais de mau Português, catálogos de atropelo às regras gramaticais». O autor do mais antigo dos Evangelhos canónicos da Bíblia advertiu ainda que «é preciso ter cuidado quando se lê "O Ano da Morte de Ricardo Reis" ou "Todos os Nomes", porque se pode adormecer... é que além de mal escritos são chatos».
O mais jovem dos seguidores de Jesus não poupou nas críticas ao estilo de escrita de Saramago: «Sobre a obra dele, eu costumo dizer: lê o "Levantado do Chão" e perde a fé. A fé em conseguir encontrar um sinal de pontuação que não seja uma vírgula ou um parágrafo que consigas ler em menos de nove horas». Marcos criticou ainda a indistinção entre os discursos directo e indirecto na obra do escritor português: «Os seus leitores são castigados com uma espécie de discurso indirecto eterno. Isto é completamente idiota».

São Marcos muito crítico com Saramago [foto E. Calhau]

Existem, porém, «coisas muito mais idiotas», segundo afirmou o discípulo de São Paulo. «Até ao "Manual de Pintura e Caligrafia", Saramago não fez nada de especial. Depois, decidiu começar a escrever como um miúdo de oito anos que aprendeu Português com o Magalhães, não se sabe porquê nem para quê. Fez mais cinco livros, apenas cinco. Descansou ao sexto e passou sempre a escrever a mesma coisa daí para a frente. Até hoje. Nunca mais fez nada de original! Isto tem algum sentido?», perguntou.
São Marcos proferiu estas declarações na loja Lidl do Cartaxo, na apresentação de uma campanha de reedição dos livros da Bíblia patrocinada por aquela cadeia de supermercados, em que o Evangelho que leva o seu nome será o primeiro, seguindo-se nas próximas semanas, alternadamente, as Cartas Apostólicas aos Gálatas, o Apocalipse de João e o livro de Gonçalo Amaral sobre a Maddie. Quem completar toda a colecção ganha uma caixa com 50 embalagens de 300 gramas de presunto fatiado.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Encontrado corpo de outro homem morto há vários anos

16 outubro, 2009

Deputado foi ontem retirado do seu lugar para dar lugar a colega de partido que o vai substituir.

Um dia depois de ter sido encontrado o corpo de um emigrante português em França morto há pelo menos dois anos, um outro episódio semelhante teve lugar, mas desta vez suspeita-se que o falecimento tenha acontecido há ainda mais tempo. «Pelo que disseram os médicos-legistas, ele está ali há mais de quatro anos», declarou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Vladimiro Gama, funcionário da Assembleia da República, em cuja Sala das Sessões teve lugar a macabra descoberta.
O cadáver foi encontrado na sexta fila do hemiciclo e, apesar de o seu estado não ter ainda permitido a identificação, tudo indica que se trata do deputado do PS José Lázaro, que se sentava regularmente naquele lugar. De acordo com Vladimiro Gama, o tribuno socialista «era muito interventivo nos primeiros meses da legislatura, mas depois foi ficando um bocado mortiço... nem sequer batia palmas ao Sócrates, mas nós achávamos que isso acontecia por ser da ala do Manuel Alegre». O cheiro do cadáver também nunca levantou suspeitas, pois, como refere o funcionário, «toda a gente pensava que era o chamon da malta da bancada do Bloco de Esquerda».
José Lázaro havia sido eleito pelo círculo da Europa e era um dos deputados mais assíduos, sendo conhecido pelas suas constantes abstenções na votação das mais diversas matérias. Terá morrido em Maio de 2005, três meses após as eleições legislativas, e permaneceu quatro anos sentado no parlamento, em decomposição, até hoje. O seu lugar será agora ocupado por um novo deputado do PS, mas quem com ele partilhou os últimos anos de vida - e de morte - diz que a sua falta será notada.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Portugueses não perdoam à puta da brasileira da Maitê Proença ser uma preconceituosa

14 outubro, 2009

Actriz já pediu desculpa, mas não parece ter adiantado.

Um vídeo protagonizado pela actriz brasileira Maitê Proença está a indignar milhares de portugueses, que o consideram ofensivo e até já promoveram a criação de um abaixo-assinado online. «Quem é que essa galdéria brasileira pensa que é? Como português, sinto-me insultado pelas suas insinuações de que todos os portugueses são burros ou estúpidos! Como é possível generalizar assim um povo?», questiona, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Elacervandro Obirapitanga, um dos assinantes, que acrescenta: «Pessoalmente não fiquei surpreendido, pois já sabia muito bem que todas as brasileiras são umas putas».
Em causa está um curto apontamento de cerca de cinco minutos, gravado há dois anos pela actriz para um programa do canal GNT. Nele, Maitê Proença tece diversos comentários depreciativos sobre os portugueses, dizendo coisas tão inaceitáveis como estranhar que tenham escolhido um ditador sanguinário como maior português de sempre. Outra imagem que deixou muitas pessoas chocadas mostra a artista a cuspir para o chão, um acto socialmente repudiado e condenado de forma bastante dura em Portugal.
Maitê Proença gravou entretanto um novo vídeo, em que pede desculpa a quem se possa ter sentido ofendido pelas suas palavras e explica que os brasileiros brincam com as coisas pelas quais sentem afecto. De seguida, a actriz rasga uma fotografia do automobilista Ayrton Senna e defeca em cima de um busto do futebolista Pelé, enquanto dá várias gargalhadas.
Apesar desta mostra de arrependimento, os portugueses não parecem dispostos a esquecer facilmente. De acordo como Elacervandro Obirapitanga, a atitude inicial foi tão grave que não pode deixar de ter consequências: «Vamos exigir que a televisão portuguesa deixe de comprar telenovelas com a Maitê Proença. A não ser para fazer reposições daquelas mais antigas, com ela ainda nova e em que aparecia toda descascadinha. Tenho a impressão que, se voltar a ver a "Dona Beija", sou capaz de lhe perdoar». Ainda assim, Obirapitanga e os restantes promotores do abaixo-assinado exigem, «como compensação por esta vil e preconceituosa ofensa a um povo inteiro, que as fronteiras sejam fechadas a todos os brasileiros, até porque são todos uma cambada de ladrões e assassinos».

Etiquetas:

Lucília Gralha | 5 comentário(s) |

Nobel para Müller instala confusão: afinal, alemão bom pode não ser o alemão morto

08 outubro, 2009

Maior galardão literário do mundo pode acabar com o próprio.

A atribuição do Prémio Nobel da Literatura à escritora alemã Herta Müller provocou grande espanto e inquietação em todo o mundo, dentro e fora dos circuitos literários. Em causa está a possibilidade de, afinal, nem todo o alemão bom ser o alemão morto, especulando-se agora com insistência que podem mesmo existir nacionais da Alemanha dotados de qualidades que ainda respiram e caminham no planeta Terra.

Herta Müller: uma boa alemã viva?! [foto E. Calhau]

«Isto é absolutamente inesperado. Até hoje, toda a gente tinha a certeza de que a única coisa positiva que podíamos esperar de um nazi... perdão, de um alemão, era que ele cessasse de respirar. Isto era impensável», comentou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, o crítico literário e apreciador de pitas Timóteo Abraão. A naturalidade romena de Müller leva, porém, alguns especialistas a alegar que ela não é bem alemã. Abraão discorda: «Não podemos iludir a questão principal. Se ela não é alemã, é cigana, e nesse caso teríamos de enfrentar a possibilidade de o cigano bom não ser necessariamente o cigano preso».
A escolha da Academia Sueca pode, desta forma, alterar toda a ordem do universo e provocar mesmo uma interrupção na continuidade espácio-temporal. Muitos cientistas especulam que, caso seja encontrado mais um exemplo de um bom alemão vivo, o mundo acabará no meio de uma onda de destruição e caos e que o próprio universo será lançado para o vazio.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Músicos portugueses juntam-se no projecto Amália Daqui Por Quinze Dias

06 outubro, 2009

Quatro artistas de diferentes correntes musicais mostram enorme preço por Amália... isto é, apreço!

No dia em que se assinalam 10 anos da morte de Amália Rodrigues, mais um conjunto de artistas portugueses deu a conhecer um novo projecto que pretende sugar até ao tutano a memória da diva do fado. Chama-se Amália Daqui Por Quinze Dias e reúne João Loureiro, Miguel Ângelo, Miguel Gameiro e Andrea. A ideia foi do ainda vocalista dos Delfins, como o próprio revelou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «O meu grande interesse foi artístico... Artístico no mesmo sentido em que é arte colocar um pintelho numa sanita e depois vender aquilo por milhares de Euros. A nossa ideia é ter o mesmo trabalho e ganhar ainda mais dinheiro do que esses 'artistas'».
De acordo com Miguel Ângelo, o projecto tomou a designação Amália Daqui Por Quinze Dias porque essa é a resposta que os seus membros têm dado de cada vez que lhes perguntam afinal quando é que sai o disco. «Aproveito para revelar que sai de certeza daqui por duas semanas... Mas entretanto vão caindo as notinhas, que em Portugal nem é preciso cantar ou tocar, basta dizer Amália e o dinheiro começa logo a chover», explica o músico.
Os participantes do projecto foram escolhidos pelo próprio Miguel Ângelo, mas por razões muito distintas. «O João Loureiro foi o primeiro nome em que pensei, porque no fundo o Amália Daqui Por Quinze Dias tem bastantes semelhanças com aquele outro projecto em que ele participou em 2001, quando o pai desafectou um terreno da reserva agrícola e permitiu que o João e uns amigos o negociassem por quatro milhões de Euros seis dias depois de o comprarem por um milhão», revela o cantor, que explica a participação de Miguel Gameiro como «uma evolução natural, permitindo-lhe regressar ao nível qualitativo dos Pólo Norte, depois de ter estado bastantes furos acima desse patamar quando gravou os discos do Noddy e do Bob o Construtor». Quanto a Andrea, «era inevitável que a convidássemos, porque precisávamos de uma gaja e alguém que aceita cantar o "Selfish Love" aceita cantar qualquer coisa», avança Miguel Ângelo.
O projecto Amália Daqui Por Quinze Dias conta iniciar uma digressão por todo o país, «sensivelmente 15 dias após o lançamento do disco», como confirma o seu mentor, embora, caso não seja possível editar entretanto o disco, os seus membros estejam disponíveis para sessões de autógrafos desde que lhes enviem primeiro os cheques. «Não queremos privar os portugueses de contactarem com alguém que gasta.. gosta! tanto da Amália como eles», acrescenta Miguel Ângelo.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Assembleia Nobel acusada de populismo por distinguir estudo sobre telómeros

05 outubro, 2009

Doogie Howser está na linha da frente da contestação.

A comunidade científica internacional está em choque com a atribuição do Prémio Nobel da Medicina aos investigadores norte-americanos Elizabeth Blackburn, Carol Greider e Jack Szostak, pelo seu trabalho sobre uma enzima que protege os cromossomas. «Isto é inadmissível! É de um populismo atroz premiar uma investigação sobre como os cromossomas são protegidos pelos telómeros e pela enzima telomerase. Toda a gente compreende que os meus colegas só ganharam o Nobel devido ao enorme mediatismo dos telómeros», criticou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Doogie Howser, médico no Eastman Medical Center e personagem ficcional de uma série televisiva do início da década de 90 do século passado.

Blackburn e Greider não convencem Howser [foto E. Calhau]

Howser afirmou mesmo que é o prestígio de toda a Medicina que está um causa a partir de hoje. De acordo com o médico adolescente, «se reduzirmos a prática e a investigação médica a termos que todos conhecem, como telomerase, corremos o risco de dessacralizar a área e qualquer dia os pacientes até começam a querer mesmo perceber o que têm ou a exigir que os curemos de situações tão complexas como uma constipação». Questionado sobre o que havia assim de tão complexo numa constipação, o especialista concluiu: «Vêem? Vêem? Já está a começar!» O menino doutor revelou não estar surpreendido com a «deriva popularucha» dos responsáveis pela atribuição do Nobel da Medicina, uma vez que «já nos dois últimos anos foram premiados estudos nas áreas do cancro, da SIDA e do Alzheimer, que também são palavras conhecidas por todos... mas pelo menos essas metem um medo do caraças!»
Além de indignado com a distinção, Doogie Howser confessou-se também desinteressado pelos resultados do estudo de Blackburn, Greider e Szostak, mesmo que este possa vir a contribuir para adiar o envelhecimento. «Quero lá saber disso: tenho 36 anos mas fisicamente continuo a parecer um adolescente de 16! E daqui por mais 20 anos ainda vai ser melhor: por um lado continuarei com este permanente desejo de me auto-gratificar, por outro terei acabado de arranjar uma loura 35 anos mais nova», considera.
A escolha do Prémio Nobel da Medicina é feita pela Assembleia Nobel, composta por 50 professores de diversas áreas médicas. Egas Moniz foi o único português a conquistar o galardão, em 1949, época em que o júri ainda aceitava cabritos, presuntos e galinhas como contrapartida para os votos.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Sócrates diz que gostou muito de escutar Cavaco

01 outubro, 2009

Reunião entre primeiro-ministro e Presidente da República decorreu hoje, em Belém.

José Sócrates esteve hoje reunido cerca de 45 minutos com Cavaco Silva e, no final do encontro, mostrou-se bastante satisfeito, em declarações exclusivas para o Jornal do Fundinho: «Esta foi das vezes em que mais gostei de escutar o Sr. Presidente da República. Só nos últimos tempos, já o escutei em mais de mil ocasiões, mas desta vez foi mesmo especial». De acordo com Sócrates, que se apresentou na circunstância como secretário-geral do PS, a principal diferença foi «que desta vez eu também falava para ele porque estávamos ali frente a frente, e ele respondia porque sabia que eu estava a ouvi-lo... quer dizer, das outras vezes ele também pensava que eu o estava a ouvir, mas não tinha mesmo a certeza absoluta, nem sabia se era mesmo eu ou se era o Augusto Santos Silva».
O primeiro-ministro não adiantou quais os temas da conversa com o Presidente da República, mas disse que os mesmos seriam conhecidos no próximo número do Acção Socialista, onde o diálogo seria transcrito assim que fosse desgravado pelo ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira. Sócrates admitiu ainda assim que entre os assuntos debatidos esteve a questão sobre qual é o melhor anti-vírus informático disponível no mercado. «Eu aconselhei o Norton ou o McAphee, mas ele disse-me que o clima económico não estava para grandes despesas e que preferia o AVG ou o Avira, por serem freeware», revelou. Porém, fontes bem colocadas, que se preferem manter anónimas e que transmitiram estas informações num café discreto na Avenida de Roma, garantem que Cavaco Silva se manteve em silêncio durante todo o encontro e que tentou mesmo não pensar de todo, «porque acha que o Mariano Gago mandou desenvolver no Técnico um sistema computorizado que lê mentes, com o dinheiro que não transferiu para as universidades».
Da Casa Civil da Presidência da República não houve para já, no entanto, qualquer comentário oficial sobre a reunião de hoje. Por um lado, porque ninguém está autorizado a falar pelo Presidente e, por outro lado, porque a Casa Civil é uma entidade abstracta e, portanto, não tem boca.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes