<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Centenas de Pais Natal vistos a assaltar casas, alegadamente por terem ficado sem metade do subsídio de Natal

29 novembro, 2011

Polícia alerta população para perigos da confrontação.

São cada vez mais as queixas junto das autoridades de segurança de avistamentos de Pais Natal a trepar a varandas e chaminés de casas, alegadamente com o intuito de as assaltar. A situação foi confirmada por fonte policial, que associou esta situação ao facto de terem começado já a ser pagos alguns subsídios de Natal que, este ano, são afetados por um corte na ordem dos 50%. «De facto, muitas pessoas nos fizeram chegar relatos de ter visto essa figura típica desta quadra pendurada em diversas habitações, com aparente intenção criminosa, o que não surpreende se tivermos em conta que muitos Pais Natal receberam já o subsídio de Natal deste ano, pois são funcionários do Estado, como se pode confirmar pelo facto de só trabalharem uma vez por ano e passarem os outros 364 dias sem fazer nada na repartição... perdão, na Lapónia», confirmou o superintendente Hipólito Seguro, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.

Um Pai Natal apanhado em flagrante [foto E. Calhau]

De acordo com o responsável policial, que foi destacado para a esquadra de Belém precisamente para acompanhar melhor todos os assuntos relativos ao Natal, é previsível que, nos próximos dias, quando começar a ser pago o décimo-quarto mês aos Pais Natal do setor privado, a situação venha a agravar. «Estes Pais Natal estão numa situação ainda mais precária, pois além do corte no subsídio, também têm de aturar os filhos insuportáveis dos administradores, que nunca ficam contentes com a prenda que recebem na festa da empresa», avançou.
Esta situação levou, entretanto, a PSP a alertar para o modus operandi dos Pais Natal, na expectativa de que mais casos possam ser denunciados. «Eles penduram-se através de cordas atadas a varandas, janelas, portas ou chaminés. Na presença de pessoas, revelam enorme sangue-frio e ficam muito quietos, até parecem bonecos...», explicou Seguro, apelando à população para evitar o confronto, pois «até hoje, como nenhum deles se mexeu ou disse uma palavra quando foi surpreendido, ninguém sabe do que eles são capazes». Sob análise está ainda a hipótese de não atuarem sozinhos, dados os diversos relatos de Pais Natal que estavam acompanhados por «renas e gnomos de luz».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Violência contra as mulheres não está a diminuir, o Benfica é que anda a ganhar muitas vezes

28 novembro, 2011

Motivações não-clubísticas na origem dos homicídios verificados este ano.

Depois da divulgação de um relatório, realizado pela União das Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), que apontava para uma redução do número de homicídios de mulheres vítimas de violência doméstica, o Movimento de Apoio Labrego aos Homens que Afinfam (MALHA) deu hoje a conhecer um outro estudo em que é sustentada a tese de que os homens portugueses não estão a tornar-se menos violentos, mas antes que o Benfica está a realizar uma época muito positiva. «Não podemos começar a ofender assim a macheza nacional, tirando conclusões precipitadas. É insultuoso e falso considerar que os homens portugueses estejam a tirar menos prazer de agredir as suas companheiras», afirma Eusébio Coluna Simões e Torres, presidente do MALHA, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho. «O que se passa é que, quando o Benfica ganha os jogos, a probabilidade de um gajo ter de espancar a mulher para libertar a frustração diminui de forma drástica. Tendo em conta que todo o bom chefe de família é benfiquista e que, este ano, ainda não perdemos nenhum jogo oficial, é natural que haja menos mortes», acrescenta.
Ainda de acordo com Torres, os casos de mulheres assassinadas pelos maridos já registados em 2011 ficam assim a dever-se a razões extra-futebolísticas, o que explica a sua diminuição. «Dada a grande forma do Artur, do Aimar e do Witsel, a violência sobre as mulheres está a ter outras motivações, igualmente comuns e aceitáveis: o jantar estar insosso, não estar passada a camisa que queremos vestir no dia seguinte ou então porque sim», comenta Torres.
O presidente do MALHA chama ainda a atenção para a circunstância de ter sido nos meses de verão que se registaram quase metade dos homicídios, ligando esse facto a «uma pré-época do Glorioso apenas sofrível, com a derrota com o Dijon e os empates com o Servette e o Anderlecht». No estudo hoje divulgado, o MALHA faz também notar que, apesar da redução do número de mortes em comparação com o ano passado, se verificou um aumento do número de tentativas, indicando que «o bom ambiente provocado pelas vitórias do Benfica acabou por conduzir a um lamentável afrouxamento».
Os dados agora divulgados estão ser alvo de profunda análise no seio do MALHA, mas ainda não existem conclusões definitivas. «É evidente a ligação entre esses dois grandes fatores da portugalidade que são o benfiquismo e a violência sobre as mulheres. O problema é que o primeiro faz reduzir o segundo, mas também que o segundo se expressa na sua plenitude somente perante a crise do primeiro. Vamos ter de fazer alguma coisa», teoriza Eusébio Coluna Simões e Torres, que se confessa algo desgostoso com a vitória do seu clube no jogo deste fim de semana com o rival Sporting: «Fiquei tão eufórico que, se o árbitro não tem expulsado o Cardozo, nem um sopapo tinha mandado à minha mulher».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Piores passwords dos membros do Governo incluem ‘troikailoveyou’ e ‘simsenhoramerkel’

23 novembro, 2011

Parlamento e Presidência da República também foram escrutinados.

A empresa SplashData, que esta semana divulgou a lista das 25 piores senhas de 2011, acaba de dar a conhecer as piores passwords usadas pelos membros do Governo liderado por Pedro Passos Coelho. Entre as expressões mais utilizadas estão ‘troikailoveyou’, ‘simsenhoramerkel’, ‘aindabemqueopovoesereno’, ‘conheçomuitaspessoasqueprecisamdeajudaequasetodassaobanqueiros’ e ‘oprincipiodofimdacrisenaoeofimdacriseanaoserqueeutenhacomecadoabeberlogodemanha’. De acordo com o responsável por este estudo, o mais normal é as pessoas escolherem expressões que lhes são familiares, mesmo que inseguras. «Não será por acaso que, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, é muitas vezes usada a password ‘24deabrilsempre’ ou, no Ministério da Educação e Ciência, ‘bolsassoamanha’», revela Edward Crash, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.

Senha de Passos é a mais insegura [foto E. Calhau]

Outras senhas usadas frequentemente pelos governantes portugueses são ‘maistroikistaqueatroika’, ‘marinhopintoaindateheidemandarprender’, ‘senaoaparecermaisvezesnartpfechoaquelaporcariatoda’ ou ‘oqueeumaenxada?’. Caso curioso é o da senha ‘cabesempremaisumputo’, utilizada por Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e da Segurança Social, que foi muito popular entre vários ministros dos governos de António Guterres e Durão Barroso, supõe-se que por razões distintas. Mas, segundo Edward Crash, o caso mais grave de insegurança ao nível das passwords do Executivo atual envolve o próprio primeiro-ministro: «Nunca se devem usar palavras nem frases que sejam demasiado evidentes. É por isso que alguém devia ter aconselhado Passos Coelho a não escolher ‘angeloguardaomeulugarqueachoqueistopodecorrermal’».
A SplashData revelou ainda as conclusões das análises efetuadas às senhas utilizadas por outros órgãos de soberania. Na Assembleia da República, as expressões mais frequentemente escolhidas pelos deputados são ‘tenhosono’, ‘estouamorrerdetedio’, ‘quebelasoneca’, ‘horadasesta’ e’tenhodecomprarmaispostit’. Já no caso do Presidente da República, Cavaco Silva tem entre as senhas preferidas ‘odiasloureiroeumcompincha’, ‘oliveiraecostaescadosmeus’ e ‘duartelimaforever’.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Estudo prova que alcoolismo é um mito: problema é a sobrecarga competitiva do calendário futebolístico

22 novembro, 2011

Cientistas portugueses apostados em derrubar ideias pré-concebidas sobre o consumo de álcool.

Uma equipa de investigadores da universidade do Cartaxo concluiu, após anos de estudo e de ingestão de bebidas alcoólicas, que não existe nenhuma dependência associada ao consumo de álcool, como se acreditava até agora. «O que se passa é que há demasiados jogos de futebol hoje em dia. E ainda por cima, são quase todos televisionados. Ora, não se pode ver um jogo sem emborcar uns copitos de tinto ou umas belas cervejas, é um facto científico», explica, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, o responsável pela investigação. Afonso Branco sustenta a validade destes factos com as pesquisas efetuadas e com o recurso a outros artigos publicados e vastamente citados: «Ouvimos vários vezes aquela canção dos Xutos & Pontapés em que o reconhecido antropólogo Tim fala da «cervejola para ver a bola» e ficámos sem qualquer dúvida».
De acordo com Branco, os casos de pessoas que bebem demasiado não se explica, portanto, por qualquer dependência física ou psicológica, mas sim pela facilidade com que, na sociedade atual, se pode assistir a uma partida de futebol. «Se a FIFA reduzisse para metade o número de jogos, cerca de 65% das situações de embriaguez seriam evitadas», defende o investigador, admitindo porém que o poderio económico do futebol hoje em dia torna esta situação improvável. Ainda assim, Afonso Branco sustenta que a eliminação dos restantes 35% dos fatores de consumo excessivo de álcool é ainda mais improvável: «Teríamos de acabar com as queimas das fitas... E uma coisa é fazer frente à FIFA, outra muito mais difícil é combater a Super Bock».
A equipa que realizou o estudo agora divulgado, que junta cientistas das Faculdades de Vale d’Algares, de Guarda Rios e de Encostas do Bairro da Universidade do Cartaxo, pretende futuramente dedicar-se ao estudo da influência de outras variáveis no consumo de álcool. «De forma perfeitamente empírica, desconfio que os tremoços e as caracoletas são uma das principais causas para aquelas situações em que um homem diz à mulher que vai só tomar um café e aparece 12 horas mais tarde completamente entornado e a tentar apanhar o gato lá de casa para lhe enfiar uma garrafa de mini pelo cu acima», revela Afonso Branco.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Universitários portugueses são estúpidos não por desconhecerem coisas básicas mas porque não sabem roubar os gravadores dos jornalistas

17 novembro, 2011

Vídeos partilhados na Internet fomentam discussão.

Uma reportagem da revista Sábado tornou-se num dos vídeos do momento da Internet. “'A ignorância dos nossos universitários” mostra um conjunto de estudantes do Ensino Superior com dificuldade, ou mesmo incapacidade, em responder a um conjunto de perguntas de cultura geral e, de acordo com os especialistas, é a prova definitiva da falta de conhecimentos desta geração. «É uma demonstração inequívoca de que os jovens portugueses devem muito à inteligência. Onde é que já se viu ser entrevistado pela Sábado e ir embora sem os gravadores dos jornalistas?», questiona, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Ricardo Rodrigues, pessoa comprovadamente idónea, uma vez que é deputado e foi recentemente nomeado para o Conselho Geral do Centro de Estudos Judiciários.
O parlamentar socialista defende ainda que este episódio devia levar a uma urgente reformulação dos currículos dos diversos graus de ensino. «É necessário que os estudantes portugueses aprendam rapidamente a rapinar, introduzindo essa disciplina nas matérias lecionadas, e não só no Ensino Superior. Se as nossas crianças não começarem por roubar as rocas e os mordedores ainda no infantário, nunca teremos pessoas capazes de assumirem o cargo de deputados da Nação», argumenta Rodrigues.
Entretanto, um dos protagonistas da notícia da Sábado resolveu contra-atacar, acusando a jornalista de manipulação. João Ladeiras afirma que errou apenas uma resposta e que, ainda assim, a chegou a corrigir, alegações desmentidas por um filme partilhado no Facebook por outro repórter da revista. No entanto, um vídeo publicado no YouTube mostra que o estudante em causa foi perturbado pelo facto de a jornalista estar apenas de tanga enquanto fazia as perguntas, mas uma filmagem disponibilizada no Vimeo prova que o aluno estava encadeado pelo sol, algo que é colocado em dúvida por um quinto filme, disponível no Sapo Vídeos, em que se vê aquele astro a bailar enquanto uma senhora flutua por cima da cabeça de três crianças.
Perante a situação gerada, os jornalistas da Sábado reafirmam a seriedade do seu trabalho, tendo revelado que se tratou de uma reportagem «feita de forma séria, que inclusivamente nos obrigou a passar várias horas na rua para encontrar as frases certas para enxertar no artigo que já tínhamos todo escrito». Diversos camaradas de profissão apresentaram mesmo a sua solidariedade com os dois autores da reportagem, manifestando-se prontos para os ajudar a enfrentar qualquer processo judicial com a mesma coragem com que Carlos Magno enfrentou o exército persa.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Vídeo mostra aula perturbada em universidade porque Nuno Crato apareceu e começou a gozar com os alunos dizendo que não lhes vai pagar a bolsa

09 novembro, 2011

Estudantes estão descontentes, mas hoje é ladies night.

Alunos do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade Técnica de Lisboa gravaram dois vídeos durante aulas recentes naquela instituição que decorrem de forma caótica, e a que o Jornal do Fundinho teve acesso exclusivo. Um dos filmes mostra o ministro da Educação e professor do ISEG, Nuno Crato, a ‘monopolizar’ a aula, atirando ‘bocas’ aos estudantes garantindo que «nem em agosto do ano que vem vão ver o dinheiro das bolsas de estudo». No segundo vídeo, Crato pergunta aos alunos se já tomaram a pílula, dizendo-lhes ainda que «deviam mesmo tomá-la, porque eu ainda nem estou há cinco meses no ministério mas já vos forniquei todos».
Durante ambas as situações, alguns alunos riem de forma inconsciente, outros mal têm forças para fazer o que quer que seja porque estão sem comer há semanas, mas a maior parte mostra o seu descontentamento. Uma aluna chega mesmo a comentar que está «tão enojada com esta situação que acho que esta noite na discoteca não vou conseguir emborcar mais de sete vodkas».


Crato apanhado em vídeo a perturbar aula [foto E. Calhau]

Paulo Chumbo, presidente da Associação de Estudantes do ISEG, reagiu já às imagens, mostrando-se indignado. «É inaceitável o tipo de bullying a que estão sujeitos os estudantes, sobretudo quando vindo de responsáveis políticos. Aquilo são cenas degradantes, inaceitáveis numa sociedade evoluída e ainda mais numa instituição de Ensino Superior. Se fosse um bocadinho mais aviltante, até parecia a praxe. Efe-erre-á!», afirmou.
Este é o segundo caso em três dias de aulas que decorreram de forma pouco normal, depois dos vídeos gravados na Escola Secundária Miguel Torga, em Monte Abraão, que foram parar ao YouTube. No entanto, estes são apenas mais dois episódios de uma longa série de filmes que têm vindo a ser divulgados e que retratam situações de violência e desrespeito em instituições tidas por idóneas. Uma plataforma de distribuição televisiva desistiu entretanto de criar um canal apenas com material deste tipo, por ser demasiado semelhante ao Canal Parlamento.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Vítor Gaspar vai simular a própria morte e editar Orçamento do Estado póstumo

08 novembro, 2011

Winehouse e Jackson inspiraram plano.

É esta semana que começa a discussão do Orçamento do Estado para 2012 e o ministro das Finanças já confidenciou aos restantes membros do Governo qual a estratégia que vai adotar para garantir uma aprovação o mais generalizada possível do documento. «O que ele me disse é que se vai fazer de morto e depois manda cá para fora uma nova versão póstuma do Orçamento do Estado, que ainda vai ter mais sucesso do que os discos que o Michael Jackson e a Amy Winehouse fizeram depois de baterem a bota», afirmou, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, um elemento da coligação governamental que preferiu manter-se no anonimato, ao que nós respondemos «Pode ficar tranquilo, Dr. Paulo Portas».

Gaspar já tem pronto OE póstumo [foto E. Calhau]

Depois do documento inicial ter sido entregue na Assembleia da República há cerca de duas semanas, algumas medidas previstas na versão póstuma do Orçamento do Estado de Vítor Gaspar começaram já a ser divulgadas e partilhadas ilegalmente na Internet. Entre estas, estão a eliminação dos subsídios de férias e de Natal também para os trabalhadores do setor privado e o aumento da jornada diária de trabalho em duas horas, e não meia, como anteriormente previsto. «É como diz o Gaspar, isto ainda é mais lixado do que o Orçamento anterior, mas quem é que vai ter coragem de dizer mal dele se pensarem que está morto?», explicou a nossa fonte anónima, exibindo uma dentadura imaculadamente branca.
Além das medidas da sua autoria, Vítor Gaspar apresentará no novo Orçamento do Estado também algumas reinterpretações de medidas de outros ministros das Finanças. O anónimo Paulo Portas esclarece: «Por exemplo, tem lá uma versão do aumento da taxa normal do IVA do Teixeira dos Santos, só que com uma intensidade muito maior. É como comparar uma subida de dois pontos percentuais com uma de 15... talvez porque seja mesmo uma de 15».

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes