<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Margarida de “Conta-me Como Foi” achou discurso de Cavaco «um bocadinho antiquado»

27 dezembro, 2010

Cavaco falou sobre as mulheres, ou pelo menos sobre as que não são umas porcas.

Margarida Lopes, a dona de casa que também faz trabalhos de costura da série da RTP “Conta-me Como Foi”, criticou hoje o discurso final de Cavaco Silva no debate com Defensor Moura, em que o atual Presidente da República destacou o papel das mulheres portuguesas na educação dos filhos e na lida doméstica. «Achei aquilo um bocadinho antiquado. É que parecia que tínhamos andado para trás no tempo... O Sr. Presidente não devia esquecer que já estamos no início dos anos 70», afirmou, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho.
Apesar do desagrado manifestado, a esposa de António admitiu que gostou do tom geral da intervenção de Cavaco Silva: «Eu sei muito bem o que sofri quando a minha Isabel quis ser atriz e tomar conta dela própria. E nota-se que o Sr. Presidente sofre da mesma maneira quando pensa que há mulheres que são artistas, que dão aulas nas universidades ou que gerem grandes empresas». Margarida admite, no entanto, que «gostava que o Sr. Presidente fosse a favor do voto das mulheres nas eleições, mas compreendo que ele ache que isso é uma modernice que ainda vai demorar muitos e muitos anos para acontecer...».

Margarida não concorda com Cavaco [foto E. Calhau]

Ao dedicar o minuto final do seu debate com Defensor Moura às mulheres, Cavaco Silva pretendeu destacar o lugar que estas ocupam na sociedade, bem como o seu importante papel. Nomeadamente, o lugar que ocupam na Sociedade de Canasta Bons Valores e o papel de cozinha.
As eleições presidenciais, marcadas para janeiro do próximo ano, oporão Aníbal Cavaco Silva a, entre outros, Manuel Alegre, Francisco Lopes, Fernando Nobre e Defensor Moura. Apesar de ser considerado o candidato da direita, o atual Presidente da República partilha algumas ideias políticas com o opositor ao regime salazarista nas eleições de 1958: tal como Humberto Delgado, assim que tomar posse, obviamente que Cavaco demite o primeiro-ministro.

Etiquetas: ,

Castro Castanheira | 1 comentário(s) |

Menino Jesus dos estandartes de Natal das lojas dos chineses trabalha 15 horas por dia numa fábrica em Shenzhen

21 dezembro, 2010

Estandartes voltam a fazer sucesso neste Natal.

O Menino Jesus retratado nos estandartes de Natal que se vendem nas lojas chinesas e que, por esta altura, já decoram as varandas das casas portuguesas, ainda tem ar de menino mas já trabalha mais de 15 horas diárias numa fábrica têxtil em Shenzen, cidade da província chinesa de Guangdong. A confirmação foi dada, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, por Da Ji Ba, proprietário do Bazar Moo Gaowan, na Buraca: «Ele trabalha na fábrica do meu primo Juda De Chong, mas é muito bem tratado! Até já é chefe de produção, ele que só lá está há dois anos! O meu primo promove muito a ascensão profissional e não liga ao bilhete de identidade».
Da Ji Ba revelou ainda que o Menino Jesus começou a trabalhar para ajudar a família, que passava por dificuldades. «A Maria é doméstica e o José tem tido cada vez menos encomendas, porque na atividade da carpintaria acaba por sofrer da concorrência com produtos chineses, que são muito mais baratos», explicou, acrescentando: «O Menino Jesus chegou a andar numa escola de messias, mas teve de deixar os estudos, porque se trata de uma família muito pobre e todos tiveram de arranjar empregos. Um primo afastado até teve de ir treinar o Benfica, coitado».

Menino Jesus no seu posto na fábrica [foto E. Calhau]

No seu bazar, Da Ji Ba garante que já vendeu mais de mil estandartes este ano, destacando-se «os normais, os que têm o Menino Jesus com pauzinhos chineses e os que têm o Menino Jesus, o Papa, o Pai Natal e o Coelhinho da Páscoa». Ainda maior sucesso têm tido «uns estandartes com a frase ‘Feliz Navidad’, que eu meti à venda porque, devido ao mau tempo, não os consegui mandar para um primo meu que tem uma loja em Espanha... A última vez que tive um artigo a sair assim tão bem foi na Páscoa, com umas camisolas com a imagem de Cristo na cruz e uma fotografia do Quaresma com a frase ‘A festa está quase a começar’, que se venderam como ginjas».
A ideia de, no período de Natal, pendurar estandartes com a figura do Menino Jesus surgiu no ano passado, com o objetivo de combater a associação desta quadra ao Pai Natal. Ao recuperar a imagem do filho de Deus, os grupos católicos promotores desta iniciativa pretendem que aquela figura criada nos anos 30 do século XX pela Coca-Cola seja substituído por esta outra criada há mais de 2000 anos por um anjo que disse a uma virgem que ela estava grávida e que tinha de convencer o marido de que a conceção tinha sido imaculada. Diz que isto assim prestigia mais o Natal.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Casal recém-casado de ex-sem-abrigo vai passar lua-de-mel numa entrada de um prédio em Punta Cana

20 dezembro, 2010

Cavaco foi convidado do casamento, mas noivos gostavam de também ter tido Sócrates na boda.

Paulo Fernandes e Filipa Cunha, os dois ex-sem-abrigo que casaram este fim de semana, partiram já para a lua-de-mel que irão passar em Punta Cana, mais concretamente numa entrada para um bloco de apartamentos, que os diversos turistas sem-abrigo que ali se deslocam frequentemente destacam pelas suas grandes áreas, as quais permitem a instalação de vários caixotes em simultâneo. «Estamos muito felizes com tudo o que nos está a acontecer. Vai ser muito emocionante pegar na Paula ao colo e entrar com ela na caixa de cartão em que vamos passar a noite de núpcias», confessou o noivo, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
Já ontem, dia da cerimónia de casamento, Paulo e Filipa haviam revelado a sua enorme alegria. «Há poucos anos, ainda eu vivia na rua e entretanto a minha vida deu uma volta. Agora sou um homem casado e isto ensina-me uma grande lição: aconteça o que acontecer daqui para a frente, a minha vida já não pode piorar», explicava o marido, que acrescentava: «E veja que hoje até temos como convidado o Presidente da República, Cavaco Silva... Se eu alguma vez pensei, quando estava na rua, que iria estar lado a lado com o homem que era o culpado por eu não ter casa nem emprego... Isto é muito bonito». Apesar de tudo, o casal tinha um lamento: «Gostávamos de cá ter tido também o primeiro-ministro José Sócrates, porque, graças a ele, daqui por 30 anos talvez os dez milhões de portugueses possam também estar a deixar de ser sem-abrigo».
Paulo Fernandes, 40 anos, conheceu Filipa Cunha, de 37, durante um serviço de voluntariado da Comunidade Vida e Paz. Ontem, foi o jantar de Natal desta associação que acolheu o casamento de ambos, perante uma plateia que juntava 3000 sem-abrigo e o Presidente da República. Cavaco Silva, de resto, aproveitou para entregar aos noivos uma marmita com os restos do jantar da passada semana no Casino Estoril, em que apadrinhou uma iniciativa que tem como objetivo entregar as sobras dos restaurantes a pessoas carenciadas, para não ter de lhes arranjar empregos ou pagar salários dignos.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Governo nega que nova lei laboral vá aumentar despedimentos, até porque já quase não há portugueses empregados

16 dezembro, 2010

Comissão Europeia também está contente, portanto de certeza que isto é uma coisa fixolas.

As medidas ontem apresentadas pelo Governo, como a criação de um fundo com descontos dos trabalhadores para financiar os seus próprios despedimentos, não irão contribuir para aumentar o número de pessoas sem trabalho em Portugal, garante o Governo. «Posso assegurar que praticamente não vai fazer diferença... Quase todos os portugueses já estão desempregados, como é que a percentagem há de subir?», argumentou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, José Sócrates.
Da iniciativa para a competitividade e o emprego ontem aprovada em Conselho de Ministros, constam ainda soluções como a criação de um teto máximo às indemnizações pagas aos trabalhadores em caso de despedimento e o desenvolvimento de programas que permitam às empresas um mais fácil ajustamento às flutuações da procura. O primeiro-ministro explicou o alcance do programa: «No fundo, isto é como arrancar os tomates da classe média à dentada e depois dizer às pessoas que foram beneficiadas com uma intervenção para potenciamento das capacidades e competências profissionais. Sim, porque quem queira ter um emprego hoje em dia, é bom que não tenha tomates».
Já hoje, a Comissão Europeia congratulou-se com as 50 medidas anunciadas pelo Executivo, por permitirem que o «mercado laboral funcione de uma forma mais ágil». Em comunicado, foi o próprio presidente da Comissão, Durão Barroso, quem afirmou que se já existisse uma lei laboral deste género quando foi primeiro-ministro de Portugal, talvez tivesse conseguido arranjar um tacho ainda melhor do que aquele que tem agora.

Etiquetas:

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

Juiz da Relação de Coimbra comemorou produtivo dia de trabalho com quatro sopapos e dois biqueiros na mulher

08 dezembro, 2010

Casamento longo e marcado por grande cumplicidade.

Depois de ter assinado o acórdão que confirma que dar duas bofetadas na ex-mulher não é violência doméstica, um juiz do Tribunal da Relação de Coimbra presenteou a sua própria mulher com quatro socos e dois pontapés, manifestando dessa forma a satisfação que sentia por um dia de trabalho preenchido e produtivo. «De facto, tinha sido um dia complicado mas muito positivo em termos da aplicação do Direito, e por isso tinha de partilhar a imensa alegria que estava a sentir com a minha companheira», explicou Hernâni Grande Calhau, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
A noite não terminou, no entanto, sem mais alguns momentos de terna troca de cumplicidades entre o juiz e a sua esposa, provocados por um telefonema da filha – «Ligou para dizer que estava grávida. Ficámos tão felizes, que acertei logo uma cotovelada no queixo da minha mulher» – pelo golo do empate do Lyon contra o Hapoel – «Só deu para irmos à Liga Europa, mas mesmo assim fiquei suficientemente contente para lhe espetar com duas bofetadas» – e pelo episódio da telenovela “Mar de Paixão” – «Fiquei muito sensibilizado por a Júlia não querer entrar em mais conflitos, e portanto bati logo com um cinto na minha mulher».
Juntos há quase 25 anos, Grande Calhau e a esposa conheceram-se ainda no liceu e têm, desde essa altura, vivido em clima de grande felicidade. «Estivemos sempre muito próximos, mesmo quando eu fui para a faculdade beber os ensinamentos que ainda hoje norteiam a minha actividade profissional... Como aquele que diz assim: Direito, justiça e força nessa piça!», explicou o juiz. De resto, para assinalar as bodas de prata da relação, Hernâni Grande Calhau tem já uma surpresa preparada: «Vou chegar mais cedo a casa, preparar um arrozinho de marisco, depois apago as luzes para ela não desconfiar e, quando ela entrar em casa, rebento-lhe com o focinho que é para poder ver o Benfica descansado enquanto janto».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Santana Lopes perde pela primeira vez em 30 anos o concurso de melhor imitador de Sá Carneiro

04 dezembro, 2010

PSD organizou mais uma convenção de imitadores do seu antigo líder, desta vez em parceria.

Pela primeira vez em três décadas, a Convenção Nacional de Imitadores de Francisco Sá Carneiro, que o PSD leva a cabo anualmente, representou uma organização conjunta dos sociais-democratas com o CDS. Mas esta não foi a única novidade do evento: ao fim de 29 vitórias consecutivas, Pedro Santana Lopes foi finalmente batido no prémio para a melhor imitação, não tendo ido além do terceiro lugar. «Os vencedores deste ano foram Pedro Passos Coelho e Paulo Portas. São eles que irão agora espalhar a mensagem dos indescritíveis sucessos que Portugal teria vivido se D. Sebastião... perdão, se Sá Carneiro não tivesse morrido», revelou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, o apresentador da convenção, Eládio Clímaco, acrescentando: «Na verdade, nem o Passos nem o Portas têm nada a ver com o Sá Carneiro, mas vêm aí umas eleições e o PSD e o CDS acham que todas as estratégias são boas para reeditar a AD».

Os vencedores e outros imitadores de Sá Carneiro [foto E. Calhau]

O conhecido comunicador explicou ainda estar previsto que, durante um ano, os líderes social-democrata e centrista irão usar a faixa de ‘Novo Sá Carneiro’ e participar em diversos comícios e visitas a feiras e mercados, estando ainda previstas várias aparições em manhãs de nevoeiro. Ainda não é certo, no entanto, que o programa se prolongue até ao final de 2011. «Isso dependerá de haver ou não um Governo com Passos Coelho e Paulo Portas até lá. Se houver, o mais provável é que um deles, a certa altura, olhe para a coligação como o Sá Carneiro olhava para o Bloco Central e lá se vai o entendimento», argumentou Eládio Clímaco, que foi escolhido para apresentar a Convenção Nacional de Imitadores de Francisco Sá Carneiro porque, tal como aquele, estava vivo em 1980 e agora já não está.
Esta noite, além do evento que juntou mais de cem imitadores do fundador do PSD, decorreram ainda alguns outros de menor dimensão, como o Prémio Melhor Comissão Parlamentar de Inquérito Sobre o Caso Camarate, ganha pela comissão em que chegou a ser ouvido um bruxo, ou o Concurso de Trivial Pursuit Edição Adelino Amaro da Costa. Mas o evento paralelo que mais sucesso provocou acabou por ser o Encontro Nacional de Imitadores de Pedro Santana Lopes a Dizer PPD/PSD, que acabou por ser ganho pelo próprio, uma vez que foi qualificado pelo júri como inimitável.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Tena lança no mercado novo produto para controlar fugas do Wikileaks

01 dezembro, 2010

Responsáveis pelo Tena Wiki esperam alcançar enorme sucesso.

A empresa detentora da marca Tena apresentou hoje um novo produto daquela linha, o Tena Wiki, com o qual promete controlar as fugas provocadas pelo site Wikileaks. De acordo com Leandro Gota, representante da marca em Portugal e no Principado da Fuzeta, estará em causa o controlo completo da incontinência de informação classificada. «Conversámos com muitos, muitos dirigentes mundiais, para que, em conjunto, pudéssemos prestar o apoio prático e emocional de acordo com as suas necessidades particulares, com o objetivo de acabar de forma definitiva com aquelas pequenas perdas diárias que causam grandes transtornos: as perdas de segredos de Estado», afirmou Gota, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
Com o Tena Wiki, a conhecida marca de produtos para a incontinência pretende oferecer uma resposta para um problema que, nesta semana, atingiu uma dimensão provavelmente nunca antes vista. «Sabemos bem aquilo com que estamos a lidar. Por vezes, é só um fiozinho, mas outras vezes são verdadeiras torrentes incontroláveis... queremos estancar toda e qualquer fuga, para que nem Obama, nem Sarkozy nem Merkel tenham de passar pelo desconforto de discursar em público com medo de se estar a notar o que pretendiam esconder», explicou Gota, que avançou ainda que «ao acabar com as preocupações com as perdas, os responsáveis mundiais poderão continuar a sentir-se confiantes, independentemente da quantidade da sua roupa suja que foi lavada em público».

Obama e Sarkozu já experimentam o Tena Wiki [foto E. Calhau]

Disponível passará a estar, então, uma completa gama de soluções. «Para um longo dia passado fora da residência oficial ou da embaixada, a escolha da proteção para os problemas de fugas de informação recairá num produto que ofereça maior segurança, enquanto que noutras situações se poderá optar por um mais ligeiro mas que passe despercebido. Por isso, muita gente gosta de alternar entre níveis de absorção de escândalos de acordo com os seus planos para o dia», argumentou o representante da Tena. Para já, estarão à venda o Tena Wiki Mini, que é uma inovação em proteção discreta e ideal para quem perde apenas algumas mensagens sem importância, o Tena Wiki Extra, que mantém a discrição mas absorve mais rapidamente e é indicado para quando são revelados documentos em que se chamam nomes ao governante estrangeiro com quem se vai ter uma reunião no próprio dia, e o Tena Wiki Super, que tem o maior nível de absorção dentro da gama e que deve ser usado em situações de perdas enormes de informações ultrassecretas, tendo porém o inconveniente de ser impossível não reparar que se está a usar algo para abafar a fuga.
Entre os responsáveis pela marca, a confiança no sucesso do Tena Wiki é grande, em larga medida por ser esta uma questão com um carácter verdadeiramente universal «Jovens e menos jovens, presidentes e primeiros-ministros, diretores de serviços secretos e diplomatas... os problemas de fugas de informação podem afetar toda a gente em qualquer idade e em qualquer cargo», confirmou Leandro Gota. Os interessados poderão experimentar amostras grátis durante as próximas semanas, tendo sido abertas linhas diretas para receber pedidos de Washington, Moscovo, Paris, Berlim, Pequim e do Vaticano.

Etiquetas:

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes