<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

PSP contrata Kelly Slater para dominar onda de criminalidade

30 agosto, 2008

Campeão mundial de surf é inesperada arma-secreta da polícia.

O surfista norte-americano Kelly Slater foi contratado pela PSP, na sequência da onda de crimes que tem vindo a dominar o país nos últimos tempos. «A polícia contactou-me e explicou que era uma onda que estava em crescimento e que ia ser muito excitante porque ia haver muitos tubos. Eu não percebi foi que eles estavam a falar dos tubos de metal com que dois meliantes me deram na cabeça ontem», confirmou o campeão, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
Apesar deste percalço, Slater mostra-se confiante no sucesso da sua missão: «Vou concentrar-me ao máximo nas entradas e saídas e tentar que os heats não resultem em cavadas que me estraguem o backside, senão lá terei de fazer um cut-back, uma vez que o meu objectivo é acabar num floater». O ministro Rui Pereira ouviu estas declarações e manifestou-se desde logo satisfeito: «Não percebi nada, mas pior do que eu não há-de fazer».
Antes de pegar na prancha e no colete (anti-balas), Kelly Slater ainda teve tempo para dizer que estava entusiasmado com a repercussão mediática que este seu desafio está a ter. «Eu estou habituado às câmaras de televisão e aos jornalistas, mas nunca tive tanta atenção mediática antes. Já me tinham dito que, nesta coisa da onda de criminalidade em Portugal, a comunicação social faz um furacão de uma pingo de água», referiu.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Pinto Monteiro tinha mais medidas contra a criminalidade mas foram roubadas

28 agosto, 2008

Procurador anunciou criação de unidades especiais contra o crime mas tinha outras propostas para apresentar.

A primeira missão das unidades especiais de combate à criminalidade hoje dadas a conhecer pelo procurador-geral da República vai ser encontrar uma pasta roubada a Pinto Monteiro, onde este guardava os seus apontamentos com cerca de duas dezenas de medidas infalíveis para acabar com o crime violento. «Eram ideias excepcionais, iam fazer de Portugal uma espécie de Suíça, só que com turistas peladonas nas praias durante o Verão», revelou o procurador, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
Fernando Pinto Monteiro explicou ainda que na pasta estavam vários guardanapos, lenços de papel e folhas de papel higiénico. Questionado sobre se tinha apontado as suas ideias naqueles suportes por serem o que tinha mais à mão quando aquelas lhe surgiram, esclareceu: «Não, eu escrevi as sugestões todas num bloco A5! Eu sou é um tipo muito desorganizado e meto sempre todo o tipo de coisas coisas em sítios esquisitos».
Quanto às unidades especiais anunciadas, e que funcionarão nos Departamentos de Investigação e Acção Penal de Lisboa, Porto, Coimbra e Évora, o procurador-geral da República revelou que as mesmas se dedicarão particularmente aos crimes mais frequentes nas respectivas zonas. Por exemplo, de acordo com Pinto Monteiro, «no Porto combater-se-á a corrupção no futebol, em Coimbra as mulheres que cantam fado, em Beja o chaparrojacking e em Lisboa o José Sá Fernandes».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Silence 4 voltaram a juntar-se, sem querer, durante encontro nos Pastéis de Belém

27 agosto, 2008

Reunião do grupo durou um quarto de hora mas ficou marcada na mente de vários turistas e empregados.

Os membros dos Silence 4 re-formaram hoje a banda, durante cerca de 15 minutos, após um inadvertido encontro nos Pastéis de Belém. David Fonseca, Sofia Lisboa, Rui Costa e Tozé Pedrosa encontraram-se, por fatalidade cósmica, no conhecido local e quando deram por eles estavam já a cantar canções aborrecidas.
Um empregado da pastelaria contou, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, como tudo se passou: «A certa altura comecei a ouvir umas guitarras acústicas e pessoal a cantar em coro e de forma monocórdica... Eu até pensei "Eh lá, queres ver que as ratoeiras não funcionaram e me entraram aqui escuteiros?" Mas depois fui lá ver o que era e vi os Silence 4. Pensei logo: "Raios, antes os escuteiros!" Depois fui buscar o Raid...»

O reencontro dos pastéis de nata [foto E. Calhau]

David Fonseca, vocalista da banda e conhecido chato, explicou que o reencontro da banda se deu de forma espontânea: «Nós não tivemos culpa! Foi casual: encontrámo-nos nos Pastéis de Belém depois de eu ter estado a tirar umas fotografias artísticas - ou seja, tortas - no Jardim dos Jerónimos, de o Rui ter atirado o João Gil ao Tejo para mudar o nome do grupo para Filarmónica Costa e de o Tozé e a Sofia terem saído de debaixo da pedra onde estavam desde o fim da banda». Questionado sobre planos para um segundo retorno dos Silence 4, Fonseca apenas admitiu «bem, eu amanhã vou almoçar ao McDonald's do Vasco da Gama...»
Quanto à reunião de hoje, ela terminou após três canções aborrecidas, quando os elementos do grupo foram expulsos dos Pastéis de Belém com o argumento de que ali não entravam pastéis de nata.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Juros aumentaram em Julho e já atingem as seis ofensas verbais

26 agosto, 2008

Dados do INE revelam que subida da taxa se verificou em todos os contratos celebrados no último ano, mesmo naqueles em que os clientes percebiam minimamente no que se estavam a meter.

A média das taxas utilizadas nos créditos à habitação chegou no mês passado às seis ofensas verbais gratuitas, para o nível Camelos Chifrudos Bastardos Mentecaptos Cabr**s, mais uma ofensa do que o verificado em Junho. O destaque vai para os empréstimos indexados à Euribor a três meses, que subiram até às sete injúrias, fixando-se em Sacanas Cagalh**s Maricas Gatunos Bestas Imbecis Filhosdapu**.
Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE) e foram hoje dados a conhecer. Timóteo Provável, porta-voz daquele organismo, revelou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que «a média das taxas praticadas pelos bancos atingiu o nível mais elevado dos últimos dez anos, mas mantém-se ainda nas ofensas com sujeito indeterminado, mesmo no caso da Euribor a três meses, em que os sete insultos são dirigidos a 'eles', sem que 'eles' seja identificado».
Provável admitiu, porém, que piores notícias estão para chegar e que os juros podem mesmo atingir as nove ofensas dirigidas: «O Banco Central Europeu acaba de revelar que Portugal é o país onde as taxas de juro dos créditos à habitação mais avançaram no conjunto dos países da Zona Euro, o que pode não só fazer aumentar o número de injúrias, como também dotá-las de um destinatário, levando-nos, já em Agosto, até ao nível Facínora Corno Sabujo Caral** Palhaço Porco Anormal Montedamer** Panelei** do Sócrates».

Etiquetas:

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

China diz-se empenhada em seguir lema olímpico

24 agosto, 2008

Jogos de Pequim acabaram mas responsáveis chineses garantem ter aprendido preciosas lições para o futuro.

Ainda a cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Pequim não tinha terminado e já Wen Pau Nulombo, presidente do comité organizador e membro do Partido Comunista Chinês, garantia que a China não ia deixar morrer o espírito olímpico. «Nem que o espírito olímpico fosse nosso inimigo nós o deixávamos morrer: temos anos e anos de experiência em manter vivos e na mais profunda agonia durante imenso tempo os nossos inimigos, portanto...», explicou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, acrescentando ainda: «Mas o Comité Olímpico Internacional está longe de ser um adversário. Aprendemos até muita coisa com o seu presidente, que, entre não permitir homenagear pessoas que morrem em acidentes terríveis e fazer de conta que liberdade é limitar o acesso apenas a alguns sites da Internet em vez de o fazer a todos, tem tanta lata que até podia ser chinês!»
Pau Nulombo avançou ainda que o lema olímpico passaria a ser um elemento norteador da política interna chinesa. De acordo com aquele responsável, «a partir de agora, passaremos a lidar com a contestação ao regime de um modo mais rápido, mais forte, pendurando-os mais alto, batendo-lhes com mais força, deixando hematomas maiores e acertando mesmo no meio da cabeça...» Confrontado com o facto de este não ser exactamente o mote das Olimpíadas, Pau Nulombo defendeu-se: «Ai não é isto? Bem, pareceu-nos que era... É que nós temos alguma dificuldade com o latim e tal... Já agora, prendam este gajo que me fez esta pergunta».
Os Jogos Olímpicos de Pequim terminaram hoje, com o fabuloso espectáculo da cerimónia de encerramento, que culminou com o lançamento sobre o Estádio Olímpico dos corpos de várias centenas de dissidentes chineses e tibetanos, vestidos com as cores dos países participantes, enquanto diversos prisioneiros políticos eram usados como instrumentos de percussão, num bonito espectáculo de luz, cor e som.

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

Militante do Bloco viu ciclo de filmes de Moretti e não gostou de nenhum

22 agosto, 2008

Ciclo da RTP 2 dedicado ao cineasta italiano provoca crise sem precedentes no Bloco de Esquerda.

Bernardo do Povo, um desconhecido militante do Bloco de Esquerda, assumiu hoje que não tinha gostado de nenhum dos filmes de Nanni Moretti que foram exibidos esta semana pela RTP2, no âmbito de um ciclo dedicado ao cineasta. «Nunca tinha visto nenhum filme dele, mas isso nunca me tinha impedido de o considerar o melhor realizador europeu vivo», contou Povo, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, antes de acrescentar que «ao ver agora os filmes no único canal português que vejo, como bom intelectual de esquerda que sou, tenho de confessar que não achei piadinha nenhuma à coisa».
O militante bloquista admitiu mesmo que este facto lhe havia provocado uma profunda convulsão interior: «Continuo a acreditar no socialismo revolucionário e a ser contra o uso de gravatas, para além de continuar a considerar-me muito mais moderno do que um membro do PCP, mas não consigo compreender o que está errado comigo para não gostar dos filmes do Nanni Moretti».
As revelações de Povo provocaram um autêntico terramoto no BE, com muitos dirigentes surpreendidos pela mera possibilidade de haver um bloquista que não gosta do trabalho do realizador e actor italiano. Vários responsáveis avançam com a necessidade de um congresso extraordinário para determinar se é possível acreditar na sociedade sem classes e não gostar de Moretti. «Não acredito que alguém se possa afirmar de esquerda, muito menos da esquerda moderna, e não apreciar Nanni Moretti e o seu cinema feito de prazer e raiva, desespero dramático e delírio cómico, a um mesmo tempo azedo e doce, cruzando uma invulgar capacidade de introspecção com um posicionamento social interventivo e ético, que nos convoca a todos à acção e ao protesto... E olhe que eu acho isto tudo e da obra dele ainda só vi o trailer d"O Caimão"!», afirmou já Fernando Rosas.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Cavaco confundiu mensagens oficiais

21 agosto, 2008

Presidente trocou mensagens de felicitações para Nélson Évora e de condolências para Juan Carlos.

Cavaco Silva felicitou hoje o rei Juan Carlos pela medalha de ouro no triplo salto nos Jogos Olímpicos e transmitiu as condolências do povo português ao saltador Nélson Évora pelo desastre aéreo em Madrid. O Presidente da República confundiu os números de fax dos dois destinatários das suas mensagens e acabou pro provocar um acidente diplomático com Espanha e um profundo mal-estar na comitiva lusa em Pequim.
Juanito Paella, assessor da Casa Real espanhola, confirmou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que o rei não achou a mínima graça aos comentários de Cavaco sobre o trágico acidente aéreo que provocou a morte de centena e meia de pessoas, nomeadamente à sua consideração de que aquele desastre «contribuiu decisivamente para a valorização nacional e internacional dos portugueses». Juan Carlos terá mesmo ligado ao chefe de Estado português para lhe perguntar «Por qué no te callas?»
Também o novo campeão olímpico luso se mostrou indignado com o Presidente, depois de ler o texto em que este classificava o seu triunfo no triplo salto como «um momento de profunda consternação e dor». Évora não poupou Cavaco e disse aos jornalistas que achava que «esse gajo está bem é na caminha!»
O lapso de Cavaco Silva, cujas consequências são neste momento imprevisíveis, podia, no entanto, ter sido evitado. Alguns dos seus conselheiros haviam sugerido ao Presidente da República que, à semelhança do que Barack Obama fará com o anúncio do candidato a vice-presidente, enviasse as mensagens a Juan Carlos e Nélson Évora por SMS, mas ele recusou a hipótese com o argumento de que «essas modernices são coisa de pretos... isso é tão absurdo como se agora alguém acabasse com o Dia da Raça».

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Michael Phelps quer 'roubar' outro recorde a Spitz

Depois das medalhas, nadador quer agora o bigode mais ridículo da história dos Jogos Olímpicos.

O nadador norte-americano Michael Phelps anunciou hoje que apesar de ser o mais bem-sucedido atleta de sempre em Jogos Olímpicos, ainda tem um objectivo por concretizar em Pequim. «Aquilo das sete medalhas de ouro do Mark Spitz já era, mas o mais importante é conseguir deixar crescer até ao final da competição um bigode mais ridículo do que aquele que ele exibiu em Munique», adiantou o atleta, em absoluto exclusivo para o Jornal do Fundinho.
«Até este momento consegui já que me crescesse uma bastante aparvalhada penugem debaixo do nariz, e tenho esperanças que nestes dias que faltam os pêlos que ainda estão mais curtitos cresçam o suficiente para tornar isto numa bigodaça absurdamente grotesca», acrescentou Phelps, que confidenciou ainda que «seria uma enorme desilusão não conseguir ultrapassar o estágio actual, que é algo já superior a um Carlos Queirós pré-Manchester mas não chega ao nível de um António Guterres pré-líder do PS».

Phelps com o novo visual [foto E. Calhau]

O nadador revelou também que trocaria de bom-grado as medalhas conquistadas na piscina por um «bigode digno da glória de um piaçaba, única forma de superar verdadeiramente essa lenda viva do machismo-latinismo que é o Mark Spitz». Michael Phelps não deixou de lembrar que é hoje muito mais difícil apresentar resultados como os do seu compatriota ao nível da pilosidade sub-narinas, «porque infelizmente já não estamos nos anos 80 e a sociedade olha de lado os homens que usam bigode: só eu sei o que passei ao longo destes quatro anos de treinos intensivos, vendo crescer o anátema social a um ritmo ainda mais elevado do que os pêlos... a pressão social era tanta que cheguei a pensar em emigrar para Portugal, onde as condições para deixar crescer um bigode estúpido são as melhores do mundo».
Phelps recebeu, entretanto, uma forte motivação para enfrentar estes últimos dias de competição contra a história da pilosidade facial olímpica, depois de ter recebido ontem a notícia de que a Speedo, a sua marca de vestuário de competição, tinha acedido aos seus pedidos e desenhado uns slips ainda mais apertadinhos do que os dos nadadores da década de 70. No desenvolvimento deste novo modelo, a empresa contou com a colaboração de vários especialistas portugueses, nomeadamente vários homens barrigudos de meia-idade, que ajudaram a Speedo a encontrar os melhores padrões ao xadrez para decorar os calções.

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

SIC suspende "Chamar a Música" depois de Tony Carreira ganhar cinco edições

20 agosto, 2008

Programa era grande sucesso do canal mas existia o risco de levar à sua ruptura financeira.

O cantor Tony Carreira provocou o cancelamento do programa da SIC "Chamar a Música", um fim abrupto que o director de programas Nuno Santos justificou com o risco de bancarrota que a estação corria após cinco triunfos consecutivos, arrecadando sempre o montante máximo, do popular artista.
Carreira surpreendeu tudo e todos com os seus conhecimentos musicais, demonstrando saber na perfeição as letras de canções como "Zingarella" de Enrico Macias («Essa é fácil: eu até a plagiei com o título "Ai Destino, Ai Destino"»), "Después de Ti Qué?" de Rudy Perez («Essa praticamente só tive mesmo de traduzir, para "Depois de Ti Mais Nada»), "Toi Qui Manques a ma Vie" de Natasha Saint-Pierre («Essa demorei uns bons dois minutos para a copiar e chamei-lhe "Esta Falta de Ti") ou "Écris Moi" de Pierre Bachelet («Aí armei-me em tradutor tuga de títulos de filmes e dei-lhe o nome "A Estrada e Eu"... Mas foi copiadinha como as outras!»).
Herman José, apresentador de "Chamar a Música, já comentou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, a decisão de Nuno Santos, dizendo compreendê-la: «É natural que ele tenha decidido acabar com o programa, o Tony ia ganhar todas as emissões que fizéssemos. Era o mesmo que haver um concurso para dizer os diálogos dos sketches do Benny Hill - eu copiei tantos que era capaz de os completar todos!»

Etiquetas:

Lucília Gralha | 7 comentário(s) |

Portugueses pensavam estar nas Olimpíadas das Desculpas Parvas

18 agosto, 2008

Estão explicadas as justificações desconcertantes apresentadas pelos atletas nacionais em Pequim 2008.

O Comité Olímpico de Portugal explicou hoje que as desculpas esfarrapadas que têm vindo a ser apresentadas pelos olímpicos portugueses se devem a um equívoco. «Muitos deles pensavam que tinham conseguido o apuramento para os Jogos Olímpicos das Desculpas Parvas, e se esse fosse o caso, há que reconhecer que estaríamos neste momento, muito provavelmente, no primeiro lugar do pódio, com umas 20 ou 30 medalhas de ouro», revelou o presidente daquele órgão. Vicente Moura desdramatizou o erro, avançando que ele próprio se havia equivocado, pois pensou que estes seriam os Jogos da Estupidez, assim se justificando o objectivo inicialmente apontado de quatro medalhas e 70 pontos. «Afinal fui eu que ouvi mal o que os chineses me tinham dito, não são os Jogos da Estupidez mas os Jogos do 43, que é o Camarão Panado com Porco Agridoce», observou.
Neste momento, vários atletas portugueses ponderam abandonar Pequim, por não se sentirem minimamente preparados para uns Jogos Olímpicos. Um elemento da equipa de ténis de mesa, que pediu para manter o anonimato e que por isso, no que depender de nós, ninguém saberá tratar-se de Tiago Apolónia, chegou a confidenciar, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «Ainda se fosse para as desculpas parvas, eu estava na minha melhor forma de sempre. Agora para o ténis de mesa é mais complicado... alguém tem uma raquete que me empreste?» Já o cavaleiro Miguel Ralão Duarte não escondeu a desilusão pelo facto de não vir a ser premiado pela desculpa que havia apresentado: «Ó pá, foi mesmo boa aquela de só estar habituado a treinar com póneis!»
Gustavo Lima, o velejador que luta ainda pelas medalhas, é que já fez saber que nunca pensou abandonar a capital chinesa e que está pronto para ficar até ao fim, sem desculpas: «O que me preocupava era que acontecesse o mesmo que há quatro anos, em Atenas, quando acabaram os preservativos na Aldeia Olímpica logo no final da primeira semana... Por mim, enquanto houver camisinhas é para manter o mastro bem erguido! E o do barco também...»

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 1 comentário(s) |

Idosos vêem cinco horas e meia de televisão diárias, mas não se lembram de mais de 15 minutos

17 agosto, 2008

Investigador desdramatiza resultados de estudo que mostra que consumo televisivo dos mais velhos aumentou nos últimos anos.

Os idosos portugueses vêem cada vez mais televisão, mas Anthony Zapping, investigador da Universidade Independente, diz que este facto não é problemático. «É verdade que eles vêem mais de cinco horas por dia, mas como têm quase todos Alzheimer não se lembram de mais do que 15/20 minutos», explica o cientista, que acrescenta, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «O que é preocupante é que o pedaço que recordam é a "Praça da Alegria", mas como um quarto de hora não dá para muito mais do que o segmento da ginástica, e esse tem umas miúdas giras, está tudo bem».
O sociólogo, que lecciona na Universidade Independente há cerca de 15 anos, diz ainda que o importante, à luz destes dados, é «implementar políticas que conduzam grandes percentagens das faixas etárias mais altas ao Alzheimer, devendo por isso o Governo promover o livre acesso a drogas, por exemplo».
Confrontado com o facto de se apresentar como cientista e docente de uma Universidade que já nem existe, Zapping respondeu: «Não existe? Pois é, já nem me lembrava... Alguém tem aí um charro, já agora?»

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Primeiras medalhas de ouro são para a GNR

14 agosto, 2008

GOE também brilhou, alcançando a prata e o bronze.

O ministro da Administração Interna anunciou hoje a atribuição de uma medalha de ouro, na modalidade de tiro com pistola a 100 metros, ao guarda da GNR que abateu a tiro um rapaz de 13 anos durante uma perseguição após um assalto em Loures, esta segunda-feira. Em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Rui Pereira explicou que «ou é o Governo a tomar conta da situação ou, da forma como os atletas portugueses se estão a portar nos Jogos Olímpicos, este ano não há medalhas para ninguém».
Na mesma ocasião, o ministro revelou que também o agente do Grupo de Operações Especiais da PSP (GOE) que atingiu mortalmente um dos assaltantes que fizeram, na passada semana, dois reféns numa agência do BES em Lisboa, receberá uma medalha, mas neste caso de prata. «Por uma questão de valorizar o que é mais importante, não podíamos atribuir duas medalhas de ouro. Toda a gente perceberá que um puto cigano dá mais pontos do que um adulto brasileiro», explicou Pereira. Mas os treinadores do GOE não ficarão menos satisfeitos com os resultados, uma vez que também o operacional que quase matava o outro assaltante, não tendo porém conseguido mais do que feri-lo gravemente, receberá uma medalha de bronze.
Estas são as primeiras medalhas conquistadas por portugueses desde o início dos Jogos Olímpicos de Pequim, competição onde a participação dos atletas portugueses tem ficado aquém das expectativas. Rui Pereira não negou o peso que este facto teve na decisão do Governo, uma vez que, como admitiu «todos os ministros estavam já a ficar chateados por não haver medalhados para aparecerem ao nosso lado nas fotos».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Emplastro já está em Pequim para salvar participação portuguesa

13 agosto, 2008

Resultados já começaram a melhorar, mas tudo indica que o melhor estará para vir.

Depois de uma primeira semana de Jogos Olimpicos frustrante para as aspirações nacionais a medalhas, chegou a Pequim um reforço de peso para a comitiva portuguesa. O conhecido Emplastro foi chamado à última hora pelo Comité Olímpico de Portugal, após as decepcionantes participações de vários atletas, e começou já a contribuir para a melhoria dos resultados.
A modalidade de vela tirou os primeiros benefícios da presença da conhecida personagem, com Gustavo Lima a passar do quarto para o segundo lugar e a dupla Marinho/Nunes a subir uma posição, após o famoso adepto portista ter feito ouvir o seu incentivo nas regatas que hoje decorreram, nomeadamente com o insistente grito de «O Comandante Vicente Moura é o meu pai!»
A primeira prova a contar com a presença de Emplastro foi a do tiro, onde, no entanto, os resultados não foram tão positivos. Nas qualificações para a prova de pistola livre a 50 metros, em que participava João Costa, a arma-secreta da missão portuguesa teve de abandonar as instalações depois de todos os concorrentes terem começado a fazer pontaria para si em vez dos alvos.

Emplastro começou pelo tiro [foto E. Calhau]

Antes de uma reunião com o comité organizador de Pequim 2008, onde irá discutir a sua participação na cerimónia de encerramento - foi convidado para figurar como substituto da substituta da intérprete original da canção dos Jogos -, Emplastro ainda explicou, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, por que aceitou o convite para ajudar os atletas portugueses: «A China é merda, a Coreia é merda, a Espanha é merda, o Azerbaijão é merda!»
A verdade é que, com a chegada de Emplastro, até já o cavalo Pipi de la Rochelle et Fou de Couilles, que competirá com o cavaleiro Bernardo de Motta e Sousa Arruda de Basto na prova de ensino, se mostrou confiante em conquistar a vitória, afirmando «Brrrrrr... Frrrrrrr!»

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

Pequim diz que polémica sobre criança que cantou na abertura dos Jogos é uma chinesice

Comité organizador defende que críticas sobre substituição da intérprete da canção são incompreensíveis.

Têm sido muitas e dos mais diversos quadrantes as críticas à organização dos Jogos Olímpicos de Pequim após a descoberta de que a criança que cantou na cerimónia de abertura estava, na realidade, apenas a mexer os lábios. No entanto, o responsável musical pelo espectáculo, o encenador chinês Lafe Ria, já desvalorizou os comentários que têm sido feitos: «Não percebo, toda a gente sabe que os chineses são todos iguais», justificou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
«Por favor, a miúda é amarela e tem os olhos em bico! Até podia ter sido eu a cantar que os ocidentais não teriam percebido nada», acrescentou o encenador, acrescentando depois. «Não se pode mandar matar estes gajos todos que andam para aí a dizer mal? Ai não? Desde quando? Ah, pronto, mas depois de dia 24 voltamos ao habitual, certo?»
Lafe Ria afirmou depois que, apesar deste percalço, se mantém confiante no sucesso dos Jogos e que está particularmente ansioso pela final dos 100 metros. «Powell, Bolt e Gay numa mesma pista... É espectacular! Sobretudo agora que arranjámos uns tipos mais bonitos para correrem em vez deles. Espero é que ninguém perceba, porque fui eu que os escolhi e para mim o Barack Obama é igualzinho à Oprah Winfrey», acrescentou.

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

João Neto abandona Jogos Olímpicos com protesto anti-propinas

Judoca, que é estudante da Universidade de Coimbra, insistiu que não ia pagar.

Apesar de não ter passado do nono lugar no torneio olímpico de judo, o português João Neto deixou ainda assim uma imagem forte no final do seu último combate, ao tirar de dentro do quimono e exibir uma faixa com a frase «Cobrar propinas é pior do que bater em meninas». Provocando a perplexidade de todo o pavilhão, Neto começou depois aos saltos, gritando «Não pagamos! Não pagamos!», até acabar por ser arrastado para fora do tapete.
O judoca, que é estudante universitário em Coimbra, explicou depois, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, as razões para esta sua atitude: «Portantos, isto foi porque, basicamente, vá prontos, esta é uma situação uma beca chata e tal». Perante a dificuldade em encontrar as palavras certas, bem como em encontrar uma garrafa de Super Bock que tinha trazido no saco para a competição, Neto resolveu dar mostras de outro tipo de eloquência, baixando as calças e exibindo as nádegas, com a inscrição «Não cago». Confrontado sobre qual o significado da frase, Neto apenas vociferou «Car**** do treinador, nem escrever sabe!»
Depois deste incidente, o Comité Olímpico de Portugal está agora preocupado com eventuais novos protesto da parte de atletas-estudantes, em particular do remador Nuno Mendes, aluno da Universidade do Porto, que foi por isso proibido de tirar os seus mínimos calções de lycra até ao final da competição. Mendes protestou de imediato: «Eu quero lá saber das propinas, não me obriguem é a andar de um lado para o outro a parecer o José Castelo Branco!»

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

Bush já não quer russos fora da Geórgia

12 agosto, 2008

Presidente dos Estados Unidos pensou que a invasão era outra.

George W. Bush fez ontem uma declaração pública sobre a invasão da Geórgia pela Rússia, incitando as tropas do Kremlin a regressarem a casa, mas voltou hoje atrás com as suas palavras, depois de Moscovo ter emitido em curto comunicado de catorze palavras, onde se podia ler: «Queremos informar George W. Bush que não estamos a invadir a sua vaca favorita».
Cerca de uma hora depois, o presidente norte-americano surgiu na sala de imprensa da Casa Branca para ler uma nova declaração pública, onde pediu desculpas aos «meus amigos russos» e fez ainda questão de deixar claro que nada tem contra «esse grande país que ocupa dois continentes, a Europa e aquele onde estão os chinocas todos». Pouco depois, em declarações exclusivas para o Jornal do Fundinho, Bush explicou que tinha ficado bastante preocupado com a ideia de ter um exército inteiro a entrar pela sua vaca premiada dentro. «Fiquei tão perturbado que nem me lembrei que havia outra Geórgia, aquele país que faz fronteira com a Rússia e Marrocos. Queria também mandar uma mensagem para todos os seus habitantes: força Georges, eu sou um de vós», acrescentou Bush.
O presidente dos Estados Unidos quis ainda garantir que a sua confusão inicial não significa uma menor atenção ao conflito no Cáucaso: «Estou muito preocupado, porque todas as manhãs ponho Nesquick no leite e se o cáucaso acaba tenho de passar a beber leite simples».

Etiquetas:

Pinto da Cruz | 0 comentário(s) |

Obikwelu promete surpreender adversários correndo de costas

11 agosto, 2008

Vice-campeão olímpico quer voltar a ficar na história do olimpismo, mas agora por razões parvas.

Depois de ter garantido que ia surpreender os adversários com a melhor forma da sua vida, o velocista português Francis Obikwelu revelou hoje que tem mais surpresas preparadas. «Nas eliminatórias dos 100 metros, vou correr de costas. Mal posso esperar para ver a cara da malta!», afirmou o atleta, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, acrescentando ainda que «caso chegue à final, tenho outra coisa preparada, que não quero revelar, mas que envolve o jogo do Macaquinho do Chinês».

Obikwelu já treina as surpresas [foto E. Calhau]

No entanto, são as surpresas que preparou para as provas de 200 metros que deixam Obikwelu verdadeiramente entusiasmado: «Primeiro, vou correr aos saltos dentro de um saco de batatas, e já pedi para que na final coloquem a meio da pista uma bacia com água e outra com farinha e um ovo lá dentro».
O velocista voltou ainda a referir que não teme nenhum adversário, nem sequer o campeão mundial Tyson Gay, actualmente em grande forma. «Para mim, o Gay não passa de um mariquinhas», considerou Francis Obikwelu, após o que recebeu uma admoestação do Comité Olímpico por usar de «humor fraquinho e bastante previsível».

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

Judoca português incita Bush a invadir Coreia do Norte

10 agosto, 2008

Atletas portugueses estão a ter péssimos resultados, mas pelo menos têm desculpas muito boas.

O português Pedro Dias reagiu enfaticamente à sua eliminação no torneio olímpico de judo, apelando ao presidente norte-americano para invadir a Coreia do Norte. «O coreano atacou-me tão forte que eu cheguei a pensar, enquanto batia com as costas no chão: Porra, isto foi um verdadeiro ataque atómico! Ora, se foi um ataque atómico, eu não sei do que é que o Bush está à espera para invadir a porcaria da Coreia!», referiu Dias, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, após perder o combate com o judoca norte-coreano Park Chol Min.
Esta explicação do judoca português, que se classificou em nono lugar na categoria de -66 kg, vem juntar-se a diversas outras de vários atletas portugueses presentes nos Jogos Olímpicos de Pequim, no âmbito daquilo que tem sido um arranque repleto de, em termos nacionais, vitórias morais ou, caso se tratasse de outro país com um mínimo de ambição, fiascos monumentais.
Entre as explicações dadas pelos desportistas portugueses, ressaltam as críticas à arbitragem protagonizadas pela também judoca Telma Monteiro e pelo atirador Joaquim Videira. Monteiro chegou mesmo a acusar o árbitro de ter «assinalado dois foras-de-jogo inexistentes e invalidado um golo absolutamente limpo», falando de uma campanha montada para beneficiar os judocas chineses e referindo, por isso, a necessidade de um "Apito Amarelo" nos Jogos Olímpicos.

Etiquetas: ,

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

Banco mantém sequestrados dois assaltantes

08 agosto, 2008

Situação tensa em agência do BES em Lisboa.

Uma dependência do Banco Espírito Santos (BES) tem sequestrados dois indivíduos que se preparavam para a tomar de assalto. Tudo teve início quando, após um dos indivíduos ter dito a uma funcionária que estava em curso um roubo, esta ripostou que os juros para a compra de casa iam certamente subir de novo até ao final do ano, acrescentando que «Isso é que é um roubo!»
A agência do BES, situada em Lisboa, mantém há já nove horas os dois reféns dentro de si, com extractos do crédito habitação apontados à cabeça, sob a ameaça de uma subida de 0,5%.
Entretanto, a Polícia de Segurança Pública iniciou já negociações com a dependência bancária, mas os resultados têm sido insuficientes: a agência do BES insiste que só entregará os reféns se pelo menos 20 dos agentes presentes no local subscreverem um novo cartão de crédito que nunca irão usar e se a força policial garantir o pagamento de todas as custas dos contratos a celebrar.
Contactado pelo Jornal do Fundindo, o conhecido criminalista e agiota Francisco Mota Couves declarou, em exclusivo, que não pode deixar de compreender esta atitude do BES, uma vez que já ele próprio pensou em sequestrar alguns dos seus clientes com mais dificuldades de liquidação das dívidas, «porque se esta malta que anda para aí a pedir dinheiro para ter onde viver e tal deixa de pagar, eu quero ver o que é feito de nós, pessoas simples e trabalhadoras que temos direito às nossas férias em Martinica ou em Cancun».

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Regulador dos Media pretende extinguir RTP2

07 agosto, 2008

Padrões jornalísticos do segundo canal público são inaceitáveis para a ERC.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) anunciou hoje que vai dar início ao processo de extinção da RTP2, devido aos conteúdos dos blocos noticiosos deste canal. «Já vamos a meio do Verão e os noticiários da RTP2 ainda não apresentaram uma única peça em que os testemunhos aleatórios de duas ou três pessoas 'do povo' servem para concluir que todos os portugueses acham isto ou aquilo», pode ler-se num comunicado daquele organismo.
Alípio Levezinho, membro da ERC, explicou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que «é preciso verberar estes comportamentos, senão qualquer dia os portugueses vão ter o seu merecido descanso de Verão perturbado por notícias sérias e baseadas em sondagens credíveis». Segundo aquele responsável, é intenção do regulador, com esta decisão, «dar uma ensinadela a esses gajos da 2 que têm a mania que são intelectuais».
A ERC entendeu ainda elogiar o comportamento dos outros canais nacionais, nomeadamente pela exibição de peças como "Portugueses Não Querem Ter Férias Nunca Mais", em que foram sondados três empresários do Norte, e "Europeus Acham que os Juros das Casas Estão Muito Baixos", em que foram entrevistadas várias pessoas com o nome Jean-Claude Trichet.
O organismo de regulação dos Media incentivou ainda RTP1, SIC e TVI, em particular, a manterem a aposta em «servir aos portugueses conteúdos de Verão que não os chateiem muito, até porque já bastou o Cavaco com aquela coisa dos Açores», solicitando ainda que quem tenha percebido a mensagem do Presidente da República envie a explicação por e-mail para a sua sede, para que a ERC possa investigar as queixas apresentadas por tentativa de assassinato por tédio através de meio audiovisual.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

TAP quer transportar mais 10 milhões de pessoas e salvar Portugal

06 agosto, 2008

Os 5 milhões de passageiros transportados na primeira metade do ano não satisfazem transportadora aérea.

Depois de ter anunciado, ao início do dia de hoje, que transportou cinco milhões de passageiros desde o início do ano até 1 de Agosto, a TAP acaba de apresentar um plano para fazer dobrar este número nos meses que faltam até ao final de 2008. Segundo Fernando Pinto, presidente da TAP, «o nosso objectivo não é meramente de resultados financeiros, pretendemos solucionar todos os problemas económicos e sociais de Portugal, transportando daqui para fora os 10 milhões de portugueses».
«Desta forma, garantimos que só cá ficam ucranianos, russos, sérvios... portanto, basicamente, engenheiros, arquitectos, médicos e cirurgiões, ficando também com os cabo-verdianos e angolanos para construir as estradas e os novos hospitais que vão ser precisos. Ah, e toda a população vai ter óptimos dentes, porque ficam cá também os dentistas brasileiros», detalhou Pinto, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
O plano da transportadora aérea nacional passa por atrair toda a população portuguesa para dentro dos seus aviões recorrendo a campanhas de distribuição de brindes inúteis mas gratuitos, montagem de banquinhas de sandes de couratos nos aeroportos e promoção de festarolas com os Diapasão nos próprios aeroplanos.

Etiquetas:

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

Primeiro portátil português começou a dar os primeiros problemas

02 agosto, 2008

Computador Magalhães já recebeu críticas duras, mas Sócrates desvaloriza.

O Magalhães, o primeiro computador portátil que vai ser totalmente produzido em Portugal e que foi apresentado esta quinta-feira, está a revelar os primeiros problemas e a ser criticado por «excesso de portugalidade». Vários utilizadores já se queixaram de que, apesar de ter sido anunciado por um preço de 50 Euros, o Magalhães exibe uma mensagem de abertura em que exige o pagamento de mais 150 Euros para arrancar o Windows, devido à necessidade de suprir uma «derrapagem». Mas as críticas não se ficam por aqui.
Existem relatos da existência de um estranho mecanismo de segurança que não permite prosseguir qualquer acção sem que seja introduzida a expressão "Sôtor Magalhães". «É ainda mais irritante do que o Controlo de Conta de Utilizador do Vista», declarou, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, um comprador do portátil, que pediu para não ser identificado porque se chama Bill Gates.
Outras críticas feitas ao Magalhães estão relacionadas com a impossibilidade de alterar o wallpaper pré-definido (um padrão de azulejos de gosto duvidoso), com os alertas sonoros das mensagens de erro (uma voz que grita «Ó chefe, navegas na net como uma gaja!») e com o facto de, ao encerrar, o computador emitir um barulho que se assemelha a um traque.
Alguns utilizadores estrangeiros também reportaram que, quando configuram o sistema operativo para a sua língua, o portátil continua a apresentar mensagens em português, só que em maiúsculas e com as letras mais espaçadas.
Quem não se manifestou preocupado com as críticas foi o primeiro-ministro José Sócrates: «Desde o dia da apresentação que ando todo eufórico e aos saltinhos e não é agora que vou parar. Este computador, simplificado e destinado às crianças, continua a ser o único computador que eu consigo utilizar».

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Nova droga reproduz efeitos do exercício físico em ratos

01 agosto, 2008

Cobaias estão entusiasmadas com os resultados dos testes a fármaco que replica os resultados químicos do exercício físico.

Um grupo de investigadores norte-americanos revelou ontem ter desenvolvido um fármaco que reproduz os benefícios do exercício físico sem ser preciso ir ao ginásio, que já foi testado em ratos de laboratório.
Uma das cobaias utilizadas afirmou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que todos os ratos estão satisfeitos com os testes a que foram submetidos: «É uma descoberta maravilhosa. Todos conseguimos emagrecer pelo menos 40 gramas sem precisar de ir ao ginásio. Estamos muito felizes, até porque toda a gente sabe como é difícil encontrar um bom ginásio para ratos».

«Cara de rato? Quem?», pergunta Ron Evans [foto E. Calhau]

Um dos autores do estudo, Ron Evans, mostrou-se também confiante no sucesso da descoberta, sintetizando-a como «exercício em comprimidos». Mas o cientista do Instituto Salk para Estudos Biológicos admitiu que há problemas que ainda precisam de ser resolvidos: «Temos de encontrar outras formas de administração do fármaco: é muito díficil para os ratos tomarem os comprimidos, têm de estar ali a tentar pegar nos copos de água com as suas pequenas patitas».
Já quando confrontado com o facto de ele próprio ter cara de rato de laboratório, Evans foi menos diplomático, dizendo aos jornalistas para «meterem mas é comprimido no...!»

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes