<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Sporting recua e admite vender Gamebox também a casais homossexuais

30 novembro, 2009

Grande sensibilidade do clube para com as minorias já tinha sido vislumbrada pelos cegos.

Depois de terem surgido notícias que davam conta de que o Sporting discriminava os homossexuais na sua campanha para casais de sócios que queiram ter desconto nos lugares anuais do estádio, o clube anunciou um recuo na sua intenção inicial e admite agora alargar a campanha a todos os interessados. «Reconhecemos que não pensámos em todas as possibilidades e é por isso que encontrámos uma alternativa: os gays irão para a parte traseira dos ecrãs gigantes, onde já metemos os cegos. É uma solução que agradará a todos, estamos convencidos. À excepção eventual dos cegos...», adiantou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, Pedro Afra. O director-geral do Grupo Sporting mostrou também a sua indignação perante as acusações de homofobia que surgiram dos mais diversos quadrantes: «Homofóbicos, nós? Já olharam bem para as cores das cadeiras do nosso estádio?»
Afra explicou ainda que o clube leonino está a preparar outras medidas que pretendem ir ao encontro dos direitos de outras minorias: «Já reservámos lugares especiais para anões no topo das nossas bancadas, naquelas filas onde não se pode ter altura de gente. Os deficientes físicos passarão a ver os jogos a partir do fosso, porque podemos atirá-los para lá sem correr o risco de eles partirem as perninhas, e os idosos ficarão no balneário a jogar à sueca com outras pessoas da terceira idade, como o Angulo. Os africanos e os romenos vão ter de esperar mais algum tempo, mas já têm lugar certo nos andaimes das obras do pavilhão que o nosso presidente prometeu construir nas últimas eleições». O responsável sportinguista recusou finalmente a existência de uma cultura de insensibilidade social no clube, defendendo até que a realidade é diametralmente oposta. «Ó pá, tratamos nós nas palminhas os maricas, os minorcas, os coxos, os velhos, os pretos e os rabotas, e esta é a nossa recompensa», protestou.
Quem reagiu entretanto à possibilidade de também os casais homossexuais poderem comprar os pacotes especiais de bilhetes de época foram as claques oficiais do Sporting. Logo ao início da tarde, a Torcida Verde fez saber que alterara a sua designação para Torcida Verde e Rosa-Choque e, apenas algumas horas depois, a Direcção da Juventude Leonina anunciou que os seus membros vão passar a frequentar o mesmo cabeleireiro do Miguel Veloso. Postura contrária manifestou a Conferência Episcopal Portuguesa, em comunicado: «Existirem casais homossexuais que exigem ter o direito de assistir aos jogos do Sporting é mais um sinal da loucura descontrolada que percorre a sociedade actual... Quem é que quer ver jogar o Sporting? Está tudo maluco?»

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Sistema de educação português apontado como exemplo em Inglaterra

25 novembro, 2009

Professora que seduziu aluno revelou superioridade dos programas escolares portugueses.

As autoridades inglesas na área da Educação estão extremamente preocupadas com o caso de Madeleine Martin, a professora que manteve relações sexuais com um aluno de 15 anos que seduziu no Facebook. Condenada agora a uma pena de prisão de 32 meses, a docente foi denunciada pelo próprio rapaz, que contou a história aos pais.
«Toda esta situação demonstra, sobretudo, que os nossos alunos estão muito mal preparados e deve levar-nos a reflectir sobre o que lhes andamos a ensinar», declarou, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, o responsável pelo Departamento de Crianças, Escolas e Famílias, que pediu que mantivéssemos o seu anonimato. Ed Balls, isto é, a nossa fonte anónima, explicou a sua inquietação: «Comparemos com o que aconteceria em Portugal, por exemplo... Nunca nenhum adolescente português diria aos pais que tinha relações sexuais com uma professora, pelo menos antes de arranjar maneira de também meter na molhada aquela colega loira que andava a tentar sacar há dois meses».

Madeleine Martin a caminho de casa para actualizar Facebook [foto E. Calhau]

O responsável governamental inglês - que nós não diremos quem é - explicou ainda ter dado já indicações para a alteração dos programas de todas as escolas, que «deixarão de dar relevância a coisas tão inúteis como a matemática, porque veja-se que aquele mesmo aluno português provavelmente nem seria capaz de contar até três para saber o número de pessoas que estavam a ter sexo em conjunto, mas por esta altura ainda andaria a comer a prof... temos de aprender com os bons exemplos». Outros projectos que deverão ser levados a cabo nas escolas de todo o Reino Unido passarão pela distribuição de computadores grátis ou de baixo custo, para facilitar o acesso dos adolescentes a redes sociais como o Facebook.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Embrião vacinado contra a gripe A perde a mãe

24 novembro, 2009

Caso vem provar que os jornalistas tinham razão, como é costume.

Depois de quatro caso de mulheres grávidas vacinadas contra a gripe A que perderam os seus fetos, hoje foi a vez de um embrião de apenas 4 semanas perder a sua mãe. Foi possível apurar que o germe fecundado havia sido vacinado na passada semana contra o vírus daquela doença, algo que o próprio confirmou quando interpelado em exclusivo pelo Jornal do Fundinho escassos minutos depois da terrível tragédia. «Ehn» foram as palavras que se lhe ouviram, em parte justificadas pelo facto de ainda não ter a boca formada, mas é sabido que quem cala, consente.
Este é o primeiro caso em Portugal de uma grávida desaparecida após a toma da vacina contra a gripe A pelo seu projecto de filho, o que vem provar que não são mera especulação populista e interessada em fazer disparar as vendas e as audiências todas as notícias que têm vindo a ser publicadas sobre os perigos da vacinação. No resto da Europa, no entanto, são conhecidos pelo menos mais cinco casos com embriões ou fetos que tomaram a vacina e perderam as progenitoras: três na Letónia, um na Noruega e outro na Moldávia, em qualquer um dos casos em vilas muito remotas onde só habita gente que fala uma língua estranha e onde não vale a pena ir para verificar se esta informação não foi inventada entre dois vodkas.
O pai do embrião em causa comentou entretanto o sucedido, mas referiu que esta notícia é uma grande parvoíce sem pés nem cabeça. É preciso notar, no entanto, a grande pressão psicológica em que o indivíduo se encontra e que tal situação pode distorcer o seu discernimento, algo que deve ser respeitado a menos que se seja jornalista televisivo, circunstância em que umas lágrimas constantes e umas palavras ditas aos soluços ajudam a enfeitar a peça.
A acrescentar a esta análise, os comentários assertivos dos vizinhos do casal, entre os quais se encontram diversas pessoas que costumam ver a "Anatomia de Gray" ou o programa do Goucha, que são unânimes em considerar que toda esta situação da vacina contra a gripe A é uma vergonha. Pronto, fica provado.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

«Vi logo que era o início de um grande amor»

20 novembro, 2009

Poucas semanas depois de o lançamento do seu último livro ter sido ultrapassado pelo interesse mediático em "Caim", de José Saramago, o escritor António Lobo Antunes surpreende ao publicar uma nova obra. "Eu, António" conta a história da sua relação com o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, prometendo não deixar pedra sobre pedra no edifício do futebol e no mundo das artes. O Jornal do Fundinho foi falar com o autor do livro que promete ser o maior best-seller português desde "Eu, Carolina".

Reconhecerá que esta revelação de que esteve envolvido com Luís Filipe Vieira apanha toda a gente de surpresa...
Toda a gente não, que um avô meu, logo pelos meus sete anos, percebeu que eu era maricas.

Sim, lembro-me de já ter falado nisso numa entrevista. Foi por ter lido as novelas de Corin Tellado.
Não, não. Foi por ter enrolado um desses livros muito bem e o ter enfiado no...

Lobo Antunes, já percebemos! Mas diga-nos, como conheceu o presidente do Benfica?
Bem, eu trabalhava pfpfpfpfpfpfppd...

Desculpe, importa-se só de tirar as mãos da frente da boca? É que não se percebe nada do que diz...
Sim, claro. Dizia eu que trabalhava no hospital psiquiátrico da Loucura da Noite. Um dia, o Luís Filipe apareceu lá, meio perdido, porque tinha ido ver o Mantorras.

Mas o Mantorras esteve internado num hospital psiquiátrico?
Não, mas quem foi a conduzir foi o então director-desportivo do Benfica, o José Veiga e, como ele não sabe ler, não percebeu as placas na estrada e acabaram ali em vez de irem para onde queriam, que era para uma serralharia em Alverca! Mas eu vi logo, mal olhei para o Luís Filipe, que aquilo era o início de um grande amor...

Como é que percebeu isso?
Foi quando ele disse fpfpsppppsfffff...

Desculpe, tem de tirar os punhos da frente da boca...
Está bem. Foi quando ele disse que o Benfica ainda havia de ser campeão europeu.

Mas isso é um disparate!
Talvez, mas eu, iludido, pensei que era aquela coisa que eu costumo fazer nos meus livros de sobrepor a verdadeira realidade e uma realidade imaginária... E pensei que tinha ali uma alma gémea. Quando ele se foi embora, até lhe disse: «Não entres tão depressa nessa noite escura» e ele disse que eu devia escrever um livro com esse título.

Não estava, portanto, habituado àquele tipo de pessoas...
Não, de todo. Hoje gosto muito mais de pessoas, e você entra nesse grupo. Mas, voltando atrás, fpffffpssspfff...

Os cotovelos... estão à frente da boca...
Desculpe. Ia eu dizer, que, naquele sítio, não costumavam aparecer homens assim. Eram quase todos malucos. Havia um que não me largava para que eu fosse fazer electro-choques com ele. Certa vez, eu disse-lhe para ele ir para os cus de Judas. Quando ele me disse que não sabia onde era, eu respondi-lhe: «É entre a "Memória de Elefante" e "A Explicação dos Pássaros"».

Como era a sua vida com Luís Filipe Vieira?
O Luís Filipe era uma pessoa muito especial. Adorava que eu lhe lesse Faulkner na versão original. Dizia que não falava inglês, mas que percebia melhor aquilo do que as coisas que eu escrevia. Era um brincalhão... Era uma das razões porque eu gostava dele. Eu gosto de pessoas e gosto muito de si. Mas Luís Filipe gostava também muito que eu fffssspppppsfffff...

Tem os ombros à frente da boca...
Certo... O Luís Filipe gostava que eu lhe aparasse o bigode. Certo dia, pediu também que eu lhe aparasse... outros pêlos. Eu acedi e até disse logo: «Boa tarde às coisas aqui em baixo» e ele disse que eu devia escrever um livro com esse título.

Era, portanto, uma vida a dois feliz?
Sim. Eu fazia tudo por ele! Inclusive, como ele tinha problemas de flatulência, havia alturas em que eu começava a escrever freneticamente, para fazer muito barulho com o teclado, para que não se ouvissem os barulhos dos, pronto, está a ver... É por isso que os meus livros são os calhamaços que se sabe.

Quando é que a relação começou a mudar?
Custa-me muito falar disto com pessoas de quem gosto, como você. Mas posso dizer-lhe que as coisas se alteraram quando ele pffffpppppssspffpppf...

Não percebi, é que tem os joelhos à frente da boca...
Dizia eu que foi quando o Luís Filipe conheceu aquela desavergonhada da Margarida Rebelo Pinto! Ele chegou a confessar-me que tinha mesmo mantido um relacionamento com ela. Mas disse-me que tinha acabado tudo devido à limitação que ela tinha na caracterização de personagens de estrato social que não o dos seus protagonistas. Mas a verdade é que as coisas não voltaram a ser as mesmas... Passou a chamar-me obsessivo e denso e a dizer que queria algo mais light. Eu até lhe disse: « Eu hei-de amar uma pedra» e ele disse que eu devia escrever um livro com esse título.

Durante a vossa relação, certamente ficou a conhecer os meandros do futebol português...
Ah, sim! Havia muitos árbitros que eram visitas de nossa casa! Mas o Luís Filipe nunca telefonava a um árbitro.

Para não deixar provas?
Não, não, porque era muito mariconço e não deixava que eu lhe tirasse os pêlos dos ouvidos. Por isso não ouvia bem o que lhe diziam e preferia ter as pessoas à frente dele. Como eu, desde que sejam pessoas de quem gosto, como é o seu caso.

Há também quem diga que foi o presidente do Benfica quem mandou agredir certo político que o vinha acusando da prática de corrupção...
Foi ele que mandou, sim, mas fui eu quem tratou de tudo. Falei com uns amigos que tenho na minha editora, uns rapazes que andam lá a empilhar os calhamaços de outros autores assim como eu, que não podem escrever livros com menos de 1759 páginas senão deixam de ser considerados escritores... São gente de quem gosto, como gosto de si. E pedi-lhes que ffffpppppspssssppppfff...

Tem os tornozelos à frente da boca...
Pois, desculpe lá... Mas então, pedi-lhes que apanhassem esse tal vereador e lhe lessem, de uma ponta à outra, "O Ano da Morte de Ricardo Reis" e "O Homem Duplicado". Ninguém resiste a uma dose dupla de frases e períodos compridos, usando a pontuação de uma maneira não convencional, com os diálogos das personagens a serem inseridos nos próprios parágrafos que os antecedem, num tipo de marcação das falas que propicia uma forte sensação de fluxo de consciência, a ponto de o leitor chegar a confundir um diálogo real com um mero pensamento.

Pois, se calhar não... Para finalizar, acha que este pode ser o livro que vai finalmente valer-lhe o Nobel?
Eu não penso nisso, sabe? Eu quero é estar com pessoas de quem gosto. E gosto de si. Se fffpppspppsssfffff...

Desculpe, não deu para perceber, tinha os dedos dos pés à frente da boca...
Disse que não penso no Nobel, que na verdade nunca me preocupei com isso, não é algo que me ocupe o pensamento... Digo-lhe mais: se aqueles cab**** do car****, aqueles filhos-da-p*** da Academia Sueca não me quiserem dar essa mer** desse car**** desse prémio que só serve para coçar os tom**** quando eles nos estão a morder, então não dêem! A mim isso não me importa...

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Carvalhal escolhido após recusa de Poupas, Conde de Contar e Monstro das Bolachas

16 novembro, 2009

Personagens da Rua Sésamo encaixavam no perfil mas não aceitaram convite.

O Sporting apresentou hoje, através da Internet, Carlos Carvalhal como novo treinador do emblema leonino, mas o técnico foi apenas a quarta escolha, depois de José Eduardo Bettencourt ter ouvido recusas de Poupas, do Conde de Contar e do Monstro das Bolachas. A preferência pelas três personagens da Rua Sésamo é justificada pelo perfil traçado pelos responsáveis sportinguistas de alguém com larga experiência académica e capaz de apostar na formação, como é o caso das criações de Jim Henson, que vêm educando diversas gerações há já 40 anos.
«Quando eu disse que o treinador ia ser um homem branco foi para desviar as atenções, porque estava na realidade à procura de um pássaro amarelo, um vampiro roxo ou um monstro azul», confessou o presidente do Sporting, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, acrescentando: «Depois do Paulo Bento deixámos de fazer grandes exigências...». Bettencourt admitiu ainda a relutância das três populares figuras em aceitar o cargo que lhes foi proposto: «O Poupas disse-me logo que nem ele era ingénuo ao ponto de acreditar que o Sporting ainda ia às competições europeias este ano e o Conde de Contar explicou-me que adora dizer números mas ter de chegar ao oitavo lugar para encontrar a equipa que ia treinar era um bocado demais. Já o Monstro das Bolachas perdeu o interesse quando percebeu que, na reabertura do mercado em Janeiro, nem para umas bolachas de água e sal nós vamos ter dinheiro».
Apesar dos contratempos, José Eduardo Bettencourt mostrou-se entusiasmado com o treinador escolhido. «Acho que o Carvalhal é a pessoa certo para este lugar, porque tem a dinâmica do Angulo, a técnica do Caicedo, a classe do Pedro Silva, a inteligência do Grimi e o instinto matador do Postiga», explicou. O dirigente adiantou ainda que Carlos Carvalhal vai ter como adjuntos o Agapito Rosa e o Agapito Vermelho.

Etiquetas:

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

Godinho suspeito de corrupção no negócio do ferro do Muro de Berlim

09 novembro, 2009

Investigações envolvem também José Sócrates, Armando Vara e diversos cidadãos da ex-RDA com nomes que parecem o som de um tipo a vomitar.

Manuel Godinho, o principal arguido no caso Face Oculta, é suspeito de ter ganho milhões negociando o ferro recolhida dos destroços do Muro de Berlim, depois de ter ganho o concurso público para a remoção da sucata dos mesmos através do recurso a uma rede de influências que incluía altas figuras da ex-RDA. De acordo com a acusação, a empresa de Godinho retirou 400 toneladas de resíduos ferrosos como se fosse lixo, que depois vendeu como recordação do Muro a comunistas portugueses interessados em construir uma réplica no Alentejo e a dirigentes comunistas da Alemanha de Leste interessados em passar por grandes defensores da liberdade.
De acordo com os investigadores, tudo isto só foi possível mediante a entrega de um suborno de 10 mil dólares norte-americanos a Günter Schabowski, membro do Politburo do partido comunista da ex-RDA e famoso pelo anúncio «Ah, é verdade, e parece que amanhã vamos mandar o Muro abaixo e tal». Embora não haja ainda certezas sobre o nível da hierarquia governativa a que subiu esta relação tentacular, existem registos de vários telefonemas entre Armando Vara e José Sócrates realizados em Novembro de 1989, em que ambos conversaram sobre esta situação e sobre a compra da televisão estatal ARD.
O primeiro-ministro já reagiu a mais esta suspeita, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «Por favor, não vejam fantasmas onde eles não existem. Eu falei com o meu amigo Armando Vara nessa altura, mas apenas na condição de estudante universitário». De acordo com Sócrates, «ele estava com problemas em tirar o curso na Nova e eu na mesma situação na Lusíada e, como éramos muito ocupados os dois, apenas falámos sobre como era bom haver uma universidade onde pudéssemos tirar os nossos cursos ao domingo».
O procurador-geral da República alemã, Franz Beckenbauer, irá decidir em breve o que fazer com as certidões resultantes das escutas telefónicas obtidas a partir do processo a que as autoridades germânicas chamaram Face Oculta Com um Bigodinho à Hitler.

Etiquetas: ,

Pinto da Cruz | 0 comentário(s) |

Militantes do PSD deprimidos após demissão de Paulo Bento

06 novembro, 2009

Quando souberam que líder se tinha demitido por falta de condições para continuar pensaram que as notícias eram sobre Manuela Ferreira Leite.

Centenas de militantes do PSD concentraram-se junto à sede do partido hoje a seguir ao almoço, eufóricos com as notícias que começavam a surgir sobre a demissão da liderança devido ao ambiente insustentável. No entanto, a meio da tarde, eram já milhares de militantes - António Preto havia surgido entretanto com cinco montes de fichas de adesão - absolutamente deprimidos depois de terem percebido que quem se havia demitido tinha sido Paulo Bento e não Manuela Ferreira Leite.
«Quando ouvi dizer que não havia condições para continuar pensei de imediato na senhora», admitiu, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, um visivelmente frustrado militante anónimo que atribuiu de imediato 20 valores ao seu próprio comentário, acrescentando: «Bom, mas agora não vou dizer mais nada, que o futebol é um ringue e para o ringue não contam comigo».

Manuela Ferreira Leite mantém a tranquilidade [foto E. Calhau]

Apesar da desilusão social-democrata, o clima continua tenso junto ao edifício da São Caetano. Tudo porque no Estádio de Alvalade, entretanto, foram anunciadas também as saídas de Miguel Ribeiro Telles e Pedro Barbosa, carinhosamente apelidados pela Juve Leo e pela JSD como, respectivamente, 'Pacheco Pereira de Alcochete' e 'Paulo Rangel do Lumiar'.
Espera-se agora por uma reacção de Manuela Ferreira Leite, que se tem mantido firme no cargo e contado com o apoio de Cavaco Silva, que chegou mesmo a afirmar «Manuela forever». A frase foi registada pelo próprio José Sócrates no bloco de apontamentos que usa para escutar o Presidente da República, embora o apontamento indique «Manuela foréva» por ter sido escrito em inglês técnico.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Jorge Jesus retirado da lista de prioritários para a vacinação contra a gripe A

01 novembro, 2009

Entretanto, foram já encomendadas seis milhões de doses de vacina para combater sintomas da esquizofrenia.

A ministra da Saúde retirou Jorge Jesus da lista de portugueses que serão vacinados em primeiro lugar contra a gripe A, na sequência dos inúmeros protestos de adeptos benfiquistas após a derrota do Benfica, ontem, contra o Sporting de Braga. Ana Jorge havia incluído o nome do técnico precisamente na manhã de sábado, na sequência de uma semana preenchida com inúmeros elogios de adeptos benfiquistas após a goleada contra o Nacional.
No momento do anúncio desta decisão, a ministra revelou ainda que chegarão brevemente a Portugal seis milhões de doses de uma nova vacina experimental, que serão administradas a todos os simpatizantes do clube da Luz. O objectivo desta terapêutica é evitar os sintomas de esquizofrenia, como explicou Ana Jorge, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «É verdade que não existe vacina para esta doença, mas acredita-se que é possível reduzir as suas consequências. Depois da vacinação, os benfiquistas não andarão mais no turbilhão de emoções que é golear o Setúbal e perder com o Vorskla Poltava, golear o Everton e perder com o Braga... Depois da primeira toma, adormecerão e só vão acordar em Maio, já com a equipa eliminada da Taça e da Liga Europa e no 3.º lufar no campeonato».
Entretanto, alguns deputados do PSD solicitaram que também o seu nome fosse retirado da lista de prioritários para a vacinação contra a gripe A, mas solicitaram ser incluídos no grupo de pessoas que serão vacinados 'contra' a esquizofrenia. «Entusiasmado com a Manuela, desiludido com a Manuela. Esperançado no Marcelo, abandonado pelo Marcelo. Criticando o Passos Coelho, preparando-me para lamber as botas ao Passos Coelho. Ser militante deste partido é a própria definição de esquizofrénico», explicou um deputado social-democrata chamado José Luís que preferiu manter o anonimato e cujo apelido rima com Renault.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes