<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Sporting contrata jogador que era regen de Figo no Football Manager

28 dezembro, 2009

Inesperada saúde financeira tem inspiração igualmente inesperada no rival Benfica.

O Sporting anunciou hoje a contratação de William Chibsah, um extremo ganês de 16 anos que é o regen de Luís Figo no Football Manager 2010 num save que o director de futebol Ricardo Sá Pinto completou ontem à noite. «Agora que andamos a nadar em dinheiro, não vejo qual é o problema de gastarmos 900 mil Euros num futebolista só porque ele não existe na realidade», comentou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, José Eduardo Bettencourt. O presidente sportinguista defendeu a contratação do ficcional jovem referindo ainda que «já com o Pedro Barbosa e o Paulo Bento contratávamos muitos jogadores através do FM... ou acham que assinámos com o Caicedo depois de o ver jogar a sério?»
A SAD do emblema de Alvalade ainda não comunicou, porém, a integração de Chibsah no plantel à Comissão de Mercados e Valores Mobiliários, por uma questão de precaução, como explicou Bettencourt: «Bem, como ele é um clone do Figo, existe a forte possibilidade de, antes de o conseguirmos fechar na Academia de Alcochete, ele assinar por outros três ou quatro clubes». Para evitar surpresas desagradáveis, Sá Pinto não voltou a correr o jogo no seu portátil desde as 23H00 de ontem e recebeu mesmo instruções para não voltar sequer a ligar o computador fora da Academia.

Regen de Figo já experimentou camisola do Sporting [foto E. Calhau]

Caso o negócio se confirme, os dirigentes sportinguistas esperam que a presença de um novo Figo devolva os adeptos às bancadas durante os jogos. «Só é pena que no FM não haja também regens de mulheres de jogadores de futebol, porque um clone da Helen Svedin também nos dava jeito... Depois de quatro anos de losango, todas as ajudas serão sempre poucas para que as pessoas queiram voltar a ver um jogo nosso», acabou por desabafar Bettencourt.
O presidente do Sporting adiantou ainda que as contratações leoninas na reabertura do mercado não ficarão por aqui, fruto da nova política financeira que permitiu disponibilizar agora verbas muito pouco comuns nos últimos anos para os lados de Alvalade: «Há muita gente a falar do fundo de jogadores do Benfica, mas eu resolvi inspirar-me noutra ideia do Luís Filipe Vieira... É algo que envolve pneus e uma espécie de farinha e tal, enfim, coisas de alta finança que não vale a pena estar a explicar agora». Desta forma, e depois de Mexer, João Pereira, Sinama-Pongolle e William Chibsah, novos reforços estarão para chegar ao Sporting. «São prováveis mais três contratações, sendo que uma ou até duas podem mesmo ser de jogadores reais. Mas eu gostava a sério era de voltar a 1992 quando o FM ainda se chamava Championship Manager e todos os jogadores eram regen... Isso é que nós construíamos cá um equipazona!», desabafou Bettencourt.

Etiquetas:

Manuel Feijão | 0 comentário(s) |

«O Pai Natal fez um nome e depois reformou-se da produção»

24 dezembro, 2009

Duende Carvalho é empregado da fábrica de brinquedos Pai Natal, na Amadora. Na véspera de Natal, o Jornal do Fundinho foi escutar, em rigoroso exclusivo, as ambições e anseios de um dos heróis esquecidos da quadra natalícia

Duende Carvalho, muito obrigado por nos conceder esta entrevista.
Não tem que agradecer, eu é que agradeço esta oportunidade para esclarecer certos e determinados equívocos.

Antes de mais, explique-nos uma coisa: tem um nome um bocadinho estranho para um duende...
Sabe, é que o meu pai é português. Eu sou meio-irmão do Toy! Nunca reparou que ele é extremamente parecido com um duende?

Sim, de facto...
Pois é, o meu pai conheceu a minha mãe e nasci eu. Depois conheceu uma égua e nasceu o Toy.

Conte-nos, por favor, como é o seu dia-a-dia.
Eu começo a trabalhar muito cedo. Logo às 5 da manhã já estou na fábrica pronto a cumprir as ordens do Coelho da Páscoa.

Do Coelho da Páscoa? Mas a fábrica não é do Pai Natal?
Não! Já há muitos anos que ele se ocupa apenas da distribuição... Sabe como é, ele fez um nome e depois reformou-se da produção. Isto agora são tudo franchises, geridos nomeadamente pelo Coelho da Páscoa, o São Valentim, o Camões e o Nel Monteiro.

E porquê eles?
Está bom de ver: são gajos que, tirando a Páscoa, o Dia dos Namorados e o Dia de Portugal, não têm nada para fazer no resto do ano.

O Nel Monteiro também?
Bem, esse também não pode passar a vida na "Praça da Alegria" e no programa do Goucha, não é? Sobram-lhe muitos dias livres. Isto apesar de ele ter um cabelo muito parecido com o do São Valentim, o que às vezes lhe permite fazer uns biscates...

E isso do franchise é assim desde quando?
Ui, há muito tempo! É que não chegaram a ser precisos 100 anos para o Pai Natal montar um negócio muito bem sustentado, depois de ter comprado a marca ao Menino Jesus...

O Pai Natal comprou o Natal ao Menino Jesus?
O Natal todo não! Só a parte dos presentes. A parte do bacalhau foi comprada pelo Governo da Noruega, a parte das repetições do "Música no Coração" foi comprada pela SIC e a parte do tio bêbedo e da família toda sentada à mesma mesa a insultar-se por causa das partilhas da avó que está quase a morrer da tuberculose foi comprada pelo Estado português para distribuir por todos os cidadãos nacionais.

Espanta-me que o Menino Jesus tenha vendido o Natal... Sobretudo essa parte dos presentes...
Sabe, ele estava a levar à falência o negócio, que, aliás, tinha herdado do pai...

Pois, devia ser por causa daquela coisa de passar a vida ora nas palhinhas deitado ora nas palhinhas estendido, não é?
Isso é um mito. Uma das vantagens de se ser filho de Deus é que se sabe desde sempre o que pode acontecer numa instituição católica, para mais se se estiver muito tempo deitado... O problema foram os sócios...

Os sócios?
Sim. O São Pedro passava a vida a tentar ficar com o negócio e o Judas tentou vender aquilo à concorrência. Já para não falar do pai adoptivo, que estava sempre a dizer que ele devia fazer só brinquedos de madeira.

E o Coelho da Páscoa, é um bom patrão?
Não tenho razões de queixa. A não ser na altura da Páscoa, em que ele anda sempre em cima, por causa da produção dos ovos.

E o Pai Natal, exerce algum tipo de controle?
Mais ou menos. Está presente sobretudo a partir do início de Dezembro, mas o que mais incomoda é o stress dele por causa da entrega dos presentes em Portugal. É que é um pesadelo descarregar os presentes todos que os portugueses compram!

Mas são assim tantos? Mesmo com a crise económica?
Sim. Graças a um milagre de Natal: as compras a crédito. Aliás, desconfio que é assim que o Governo de Portugal vai arranjar dinheiro para pagar o novo aeroporto e o TGV: graças a um milagre de Natal... Bem, mas vamos ter de ficar por aqui... É que ainda tenho de voltar para a fábrica.

Mas vai trabalhar hoje? É véspera de Natal!
Sim, mas nós nunca paramos de produzir. Esta noite, por exemplo, ainda tenho para fazer 536 Noddys, 386 Barbies, 271 Action Mans e 101 Artures.

Artur? Não conheço esse brinquedo...
Sim, é um brinquedo especial, que é, basicamente, um miúdo de cinco anos. É para uma comunidade de 100 padres católicos irlandeses.

Mas disse que ia fazer 101...
Ah, sim! É que eles nestas circunstâncias nunca brincam com nada que não tenha sido testado pelo próprio Papa. Acho que é um dos dogmas da Igreja, ou o camandro...

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Imagens mostram agressões entre Cavaco e Sócrates no túnel do Palácio de Belém

23 dezembro, 2009

Cenas de violência na apresentação de boas festas ao Presidente da República foram registadas em vídeo

Cavaco Silva e José Sócrates trocaram, esta tarde, desejos de bom Natal, votos de feliz Ano Novo, dois pontapés nos joelhos, três murros no nariz e sete chapadas na cara. Antes do encontro com a imprensa, que serviu para a apresentação de cumprimentos de boas festas do Governo ao chefe de Estado, o Presidente da República e o primeiro-ministro ter-se-ão envolvido, no túnel de acesso à sala onde decorreu a cerimónia, em duros confrontos físicos. De acordo com fonte anónima, que trabalha no Palácio de Belém e cujo apelido é o nome de um instrumento para desbastar ou raspar metais, as agressões terão partido de Sócrates e apanhado toda a gente de surpresa. «Foi um acto gratuito de violência por parte de um governante que manifestamente não sabe que quem manda é o Presidente», comentou, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.

Cavaco e Sócrates no túnel de Belém [foto E. Calhau]

Do lado do Governo ainda ninguém quis comentar oficialmente as declarações da nossa fonte anónima cujo nome próprio tem como diminutivo Nando, mas, de forma informal, já vários ministros alegaram que José Sócrates apenas respondeu a uma agressão verbal de Cavaco Silva, que o terá provocado perguntando-lhe se já tinha marcada a data do casamento com Diogo Infante. Estes membros do executivo garantem ainda que eles próprios foram cuspidos pelo Presidente da República, tendo sido atingidos por diversas passas, brindes e favas de bolo-rei.
A verdade pode vir a ser conhecida se forem entretanto divulgadas as imagens que, de acordo com a nossa fonte anónima que já escreveu um livro chamado “O Meu Tempo com Cavaco Silva”, foram registadas pelas diversas câmaras que, desde que Sócrates começou a ser visita frequente do Palácio de Belém, foram instaladas no túnel onde decorreram as violentas cenas.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Promotores de petição querem referendar casamento entre pessoas que parece que são do mesmo sexo

19 dezembro, 2009

Plataforma Cidadania e Casamento invoca necessidade de mais uma consulta sobre outro tema fracturante.

Dois dias depois de o Conselho de Ministros ter aprovado a proposta de lei de legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo e apenas um dia após uma petição a exigir a realização de um referendo nacional sobre esta matéria ter ultrapassado as 70 mil assinaturas, entra na esfera do debate político o casamento entre pessoas que parece que são do mesmo sexo. A iniciativa parte da Plataforma Cidadania e Casamento, o mesmo grupo que pretende referendar o casamento gay, como explica um dos seus membros, Maria de Fátima Imaculada, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «Não podemos permitir estas derivas libertárias que desfocam os assuntos. O objectivo de um casamento é a procriação e ninguém consegue procriar com alguém que parece que é do mesmo sexo... É que nem sequer apetece olhar para a cara dessa pessoa... e por detrás não se procria!»
Além de pedir a realização de um referendo, os promotores propõem mesmo já a pergunta que deve ser feita: Concorda que o casamento possa ser celebrado entre pessoas que, suponhamos, se chamem Soraia e tenham bigode farfalhudo ou se chamem Adérito e tenham umas glândulas mamárias a modos que desenvolvidas? Em alternativa, a Plataforma sugere que a questão seja: Quer armar-se em parvinho e discordar de nós, que é da maneira que ainda o fazemos arder nas fogueiras da Santa Inquisição?
Maria de Fátima Imaculada revela que também a adopção por casais constituídos por pessoas que parece que são do mesmo sexo entra nas preocupações dos mandatários e signatários da petição: «Temos de pensar nas crianças, elas é que importam. Uma coisa é um miúdo de 10 anos ser sodomizado durante cinco pelo pai, outra coisa, essa sim bastante grave, é se esse pai ainda por cima parece que é uma mulher». Reiterando o interesse superior dos menores, os elementos da Plataforma Cidadania e Casamento defendem ainda que pode ser bastante perturbador para uma criança ter um pai e uma mãe que parece que são do mesmo sexo. «Você gostava de ser filho do José Castelo Branco e da Betty Grafstein?», questiona Fátima Imaculada.
A Plataforma Cidadania e Casamento é um grupo que integra cidadãos de diferentes quadrantes ideológicos e religiosos, desde que sejam de Direita e católicos. Tem vindo a defender a realização de um referendo sobre o casamento de pessoas do mesmo sexo e manifestam-se favoráveis a que se realizem sempre consultas populares sobre temas fracturantes. A menos que a maioria parlamentar lhes seja favorável, caso em que os referendos são uma perda de tempo quando o País tem problemas bastante mais graves.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Grupo de católicos ofendido com imagem em que Virgem Maria não é monhé

15 dezembro, 2009

Esta é a segunda representação polémica da santa em pouco tempo.

Depois de ter começado a circular na Internet uma petição contra uma imagem de Nossa Senhora da Conceição com um focinho e patas de gato, colocada à porta de um hotel em Lisboa, surge agora um novo protesto relacionado com outra figura representativa de uma aparição da progenitora de Jesus. Trata-se de uma imagem de Nossa Senhora dos Lavabos das Senhoras da Estação de Serviço da Galp no Fundão, considerada uma das mais inopinadas aparições daquela santa, que representa uma mulher branca de lisos cabelos castanhos. A exibição desta estátua num mictório público na baixa lisboeta está a gerar profunda polémica, como explica, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, Carlos Felino, porta-voz de um grupo de católicos indignados: «Isto é uma vergonha! Nossa Senhora toda branquinha! Quer dizer, apanhava aquele sol todo lá na Judéia e ficava assim branquinha! Mas ela nasceu na Finlândia, foi? Onde é que isto já se viu? Qualquer dia começam a pintar Jesus com os olhos azuis!»
Foi o grupo representado por Felino que, entretanto, criou uma outra petição, exigindo que a imagem de Nossa Senhora dos Lavabos das Senhoras da Estação de Serviço da Galp no Fundão seja pintada na cara e nas mãos com uma cor correspondente aos códigos hexadecimais #995500, #996611 ou #997722. «O que é inadmissível é o habitual #FFFFFF ou o também muito comum #FFFFEE! Isso são verdadeiras desfigurações», alega a mesma fonte.
Reagindo aos que consideram esta tomada de posição uma tentativa de censura motivada por intolerância religiosa, Carlos Felino não deixa dúvidas: «Este problema ultrapassa a dimensão confessional. Esta representação da Virgem Maria representa uma falta de respeito não só por todos os crentes, mas também pelos não-crentes, que têm o direito de não acreditar mas não têm o direito de o dizer em voz alta nem de não se indignarem com isto!»
Quem não quer comentar esta polémica nem a que envolve a da imagem de Nossa Senhora com cara de gato é o Cardeal Patriarca de Lisboa. Informações prestadas pelo Patriarcado justificam essa atitude com o facto de D. José Policarpo não pretender indispor os gatos que habitam o planeta Terra que, como toda a gente sabe, são na verdades extraterrestres que levam a cabo uma estratégia que os levará à dominação mundial.

Etiquetas:

Arnaldo Midões | 0 comentário(s) |

Teresa, Luísa, Pedro, Chico e João vão investigar desaparecimento de directora da DREC

10 dezembro, 2009

Ministra da Educação está farta de aventureirismos e de trocadilhos com o título dos seus livros.

Isabel Alçada deu hoje indicações às personagens principais da colecção "Uma Aventura" para que investiguem o desaparecimento de Beatriz Proença da Direcção Regional de Educação do Centro (DREC) poucos dias depois de ter assumido as funções de directora. As gémeas Teresa e Luísa, Pedro, Chico e João estão já a desenvolver esforços, à revelia dos encarregados de educação, para descobrir o mistério por detrás de uma nomeação que, supostamente, nunca aconteceu, mas a ministra da Educação não confirmou, para já, o envolvimento dos cães Faial e Caracol. «É possível que venham a participar, mas neste momento é mais provável que entrem na história aqueles cães-pisteiros ingleses que descobrem o rasto das pessoas. Em termos de construção literária são bastante credíveis, porque já entraram naquele livro sobre a Maddie e tudo», explicou Alçada, em exclusivo para o Jornal do Fundinho.
A ministra negou ainda que toda esta situação tenha sido criada por si, como forma de se inspirar para escrever mais um livro da colecção infanto-juvenil de maior sucesso em Portugal: «É verdade que está montado um enredo trepidante e cheio de emoção, mas neste momento estou mais apostada no lançamento dos títulos antigos em CD-Rom, para as crianças as poderem ler no Magalhães». Isabel Alçada optou, por outro lado, por não comentar a alegação de que serão motivações partidárias a causa do afastamento da indigitada directora, remetendo mais explicações para a sua colega de escrita Ana Maria Magalhães: «Olhem, estou um bocadinho farta disto tudo... Este tipo de história obriga a um esforço de pesquisa para o qual eu agora não tenho tempo, porque passo o dia inteiro a atender chamadas do Mário Nogueira a dizer que qualquer dia me aparece à porta de uma escola com 500 professores e mais não sei o quê».
Caso se confirme a sua edição, "Uma Aventura na DREC" será o 52.º título da colecção criada na década de 80 do século passado por Isabel Alçada e Ana Maria Magalhães. Circulam rumores de que Isabel Alçada terá imposto que, na conversão do livro para o formato televisivo, o seu papel seja desempenhado por Cláudia Vieira.

Etiquetas:

Castro Castanheira | 0 comentário(s) |

Autor de "Um Mundo Sem Queixas" edita sequela

07 dezembro, 2009

"Um Mundo Sem Queixos" é o título que promete fazer tanto ou mais sucesso do que o seu antecessor.

Em 2006, o pastor norte-americano Will Bowen surpreendeu o mundo e vendeu milhões de livros com a ideia radical de que de cada pessoa devia deixar de se queixar e tornar-se, dessa forma, mais feliz e mais saudável. Ao contrário do que parecia à primeira vista, a estratégia não passava por ganhar tanto dinheiro em direitos de autor com essa ideia parva que se deixava, verdadeiramente, de ter do que se queixar, mas sim por usar uma pulseira roxa e, ao fim de 21 dias, conseguir erradicar pensamentos negativos da sua mente. E, simultaneamente, sobreviver ao facto de se ser recorrentemente chamado de maricas na rua por usar uma fitinha de cor duvidosa.
Bowen regressa agora com um conceito ainda mais revolucionário, como o próprio explica, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «Anteriormente eu disse a toda a gente para deixar de se queixar e ser feliz. Mas ao longo dos últimos anos a resistir ao queixume, houve algo que eu não consegui ultrapassar: não suporto belfos! Em "Um Mundo Sem Queixos" eu explico que não consigo perceber patavina do que eles dizem que e, por isso, acho que devem ser todos mortos!» O pastor da Christ Church Unity propõe no seu novo livro que se use no braço uma pulseira de cabedal com picos de aço, a qual servirá para partir os queixos a todas as pessoas com o beiço inferior pendente que se encontrem na rua, no local de trabalho ou em situações sociais.

Will Bowen mostra a sua nova pulseira [foto E. Calhau]

«A queixa é um hábito destrutivo que nos envenena e nos afasta da alegria e da auto-realização. Por isso eu decidi que estava na hora de deixar de me queixar dos belfos e começar a resolver o problema deles», explica o autor, que complementa: «É verdade que podia tratar disto de outra forma, mas por muito dinheiro que eu tenha, ainda ficava carote mandar construir umas centenas de câmaras de gás».
Bowen, que é considerado uma das pessoas mais positivas do mundo, irá permitir aos interessados a aquisição de "Um Mundo Sem Queixos" de forma gratuita, no que define como uma maneira de retribuir tudo o que a vida, Deus, os arco-íris e as nuvens de algodão-doce lhe proporcionaram. «O livro não estará à venda, será enviado a custo zero a todas as pessoas que o quiserem ler. Nem um cêntimo trocará de mãos, eu não poderia permitir que tal acontecesse, nunca tiraria proveito de algo tão profundamente belo. Ah, já agora, os portes de correio são de 150 Euros», explica.

Etiquetas:

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

Juízo de Instrução Criminal de Aveiro avança com novo tarifário

03 dezembro, 2009

Plano de chamadas apresenta como grande vantagem a liberdade que proporciona.

O juiz de instrução criminal do Baixo Vouga, em Aveiro, anunciou ontem o lançamento de um novo tarifário para as chamadas entre amigos. O plano pós-pago permitirá aos clientes daquele tribunal, nomeadamente aos arguidos do processo Face Oculta, realizar chamadas ilimitadas, em Portugal e no estrangeiro, para um grupo alargado de amigos, pagando posteriormente apenas uma caução de 25 mil Euros.
Aderindo a este plano tarifário, o cliente fica, porém, impossibilitado de contactar com quatro dos seus amigos incluídos no grupo por si definido, mesmo que por SMS. O novo tarifário é válido para chamadas de todas as redes e pode ser subscrito mesmo por clientes que tenham trocado recentemente de telemóvel ou de cartão.
Em comunicado, o juíz explica que a introdução deste novo plano pretende eliminar as barreiras à utilização do telemóvel na prática da corrupção, desobrigando os corruptores e os corrompidos de preocupações com carregamentos obrigatórios ou prazos de validade. A adesão é gratuita e pode ser feita através do serviço de apoio ao cliente, sediado no Palácio de São Bento.
O primeiro cliente a subscrever o tarifário, o ex-ministro Armando Vara, manifestou-se satisfeito com a escolha, afirmando na ocasião, em exclusivo para o Jornal do Fundinho: «Estou particularmente contente com a liberdade que este pacote me proporciona. É óptimo não estar preso... a planos pré-pagos, isto é». Vara disse mesmo que esta «uma oferta extraordinária, é praticamente uma prenda que me dão, melhor do que isto só mesmo um cabaz de robalos».

Etiquetas: ,

Eufémia Saraiva | 0 comentário(s) |

Pinto Monteiro queria divulgar escutas de Sócrates nas letras das canções de André Sardet

01 dezembro, 2009

Procurador-Geral deve ser obrigado a encontrar alternativas.

Foram diversas as críticas às declarações do Procurador-Geral da República dando conta de que pretendia divulgar as escutas do caso face Oculta que envolvem José Sócrates, mas Pinto Monteiro chegou a julgar ter encontrado uma forma de levar por diante a sua intenção. Depois de contactos com André Sardet, a ideia seria introduzir nas letras do novo álbum do cantor as palavras trocadas entre o primeiro-ministro e Armando Vara.
«É verdade, não sei como é que vocês descobriram, porque isto era suposto ser secreto», confirma Sardet, em rigoroso exclusivo para o Jornal do Fundinho, adiantando: «Já me tramaram, que agora vou mesmo ter de escrever umas letras para as canções... No último ainda me safei a plagiar livros infantis, mas acho que não me safo com outra semelhante».

Pinto Monteiro e Sardet em estúdio [foto E. Calhau]

Os encontros entre o Procurador-Geral e o artista terão sido iniciados há cerca de três semanas, mas só anteontem ficaram definidos os contornos exactos em que as escutas seriam divulgadas. «Estive a ler as conversas do José Sócrates e pareceram-me palavras de grande potencial lírico e riqueza poética. Pelo menos não eram piores do que aquelas que eu costumo escrever», revela Sardet. Nos últimos dois dias, e já com as novas letras, o cantor gravou as canções "Gosto de ti Desde Aqui Até à Sucateira", "Dez Mil Euros de Prazer", "Quando eu te Falei de Calar a Matraca da Moura Guedes", "O Azul das Notas de Vinte Euros" e uma nova versão de "Foi Feitiço" explicando como o primeiro-ministro teve conhecimento da possível compra da TVI pela PT. O novo disco de André Sardet apresentaria ainda como faixa-bónus uma releitura do tema popularizado por Manuela Moura Guedes "Foram Cardos, Foram Prosas", com uma letra do próprio Pinto Monteiro descrevendo os desenvolvimentos recentes da sua relação com Noronha Nascimento, presidente do Supremo Tribunal de Justiça.
Agora que os seus planos são do conhecimento público, o Procurador-Geral da República deverá repensar a forma de divulgação das escutas que envolvem José Sócrates. É de admitir que opte por soluções que lhe garantam a máxima discrição, como dar uma entrevista à edição portuguesa da Playboy (que ninguém lê), participar no programa da SIC "Quando o Telefone Toca" (que ninguém vê) ou pedir ao presidente da República para incluir os conteúdos num dos seus próximos discursos (que ninguém escuta).

Etiquetas: ,

Lucília Gralha | 0 comentário(s) |

    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes