<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Portugueses mudaram todos o estado civil no Facebook para ‘É complicado’ porque a relação com o País já teve melhores dias

06 outubro, 2012

Bons tempos são coisa do passado e podem levar à rutura definitiva.

Os utilizadores portugueses do Facebook aproveitaram a celebração da implantação da República e mudaram todos o seu estado civil naquela rede social para ‘É complicado’, porque sentem que as coisas já estiveram melhores entre eles e o País. «Estamos cada vez mais distantes», confessou Adélia Pereira, funcionária pública de 38 anos, relatando que «já por diversas vezes ele me disse que eu devia arranjar outro país, tipo o Brasil ou Angola, e a verdade é que eu própria também já pensei nisso». Adélia explicou que este facto pode levá-la a mudar o estado para ‘Numa relação aberta’, mas que, para já, está fora de hipótese alterá-lo para ‘Separada’: «Continuo a gostar muito dele... Ao início nem lhe ligava, mas depois encontrámo-nos durante a Expo 98 e apaixonei-me».

Adélia diz que viver com Portugal é complicado [foto E. Calhau]

Os bons tempos que Portugal e os portugueses passaram juntos nos últimos anos são, de resto, uma lembrança permanente para Adélia Pereira. «Demos muitos passeios juntos. Enquanto a autoestrada não acabava, não parávamos. E a verdade é que havia sempre mais alcatrão, parecia que as autoestradas e os IP nasciam como cogumelos», recordou, enquanto acrescentava outro momento marcante: «O Euro 2004 foi muito importante: vestíamos a camisola da Seleção e víamos juntos os jogos, sempre de mão dada. E ainda fomos ver outras partidas, estivemos em cada um dos 10 estádios feitos de propósito para o Campeonato... Lembro-me de estarmos no Estádio do Algarve e de eu pensar: Espero que o nosso amor esteja sempre tão cheio quanto este estádio há de estar».
Os problemas parecem ter começado quando Adélia Pereira achou que estava na altura de dar o passo seguinte: «Após tanto tempo de felicidade, achei que estava na altura de comprar uma casa. E Portugal disse-me que sim senhor, que não havia problema, que ele ia sempre ter crédito...» As questões financeiras podem ter levado ao deteriorar da relação, mas Adélia garante que tudo podia ter sido ultrapassado se o seu País tivesse outra atitude. «Ultimamente, sinto que ele só me quer pelo meu dinheiro. E pior do que isso, tenho a certeza de que anda a gastá-lo todo com alguma galdéria estrangeira», lamenta, admitindo que não sabe se será capaz de perdoar Portugal.

Etiquetas:

Lucília Gralha

0 comentário(s):

Comentar


    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes