<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6779334299592895871\x26blogName\x3dJornal+do+Fundinho\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://jornaldofundinho.blogspot.com/\x26vt\x3d7297088095981209215', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>







   





   

Tony Carreira diz que também tem canção contra Sócrates

16 abril, 2009

Cantor popular afirma que Xutos nem sequer foram os primeiros.

Depois do furor que, nos últimos dias, a canção da banda Xutos & Pontapés "Sem Eira Nem Beira" tem causado, sendo apontada como uma crítica directa a José Sócrates e às políticas desenvolvidas pelo seu governo, o cantor Tony Carreira surge agora a reclamar idêntica atenção para o seu tema "Vou Viver Sem Ti". O popular cançonetista afirmou hoje, em exclusivo para o Jornal do Fundinho, que foi ele o primeiro a usar uma canção como arma contra o primeiro-ministro: «Quais Xutos, qual quê! Já se esqueceram de quem é o maior artista português? Mau! Parem lá de falar nesses tipos e concentrem-se no maior cantor de Portugal e provavelmente do mundo. Que sou eu, claro!»
Carreira defende que basta escutar aquela cantiga, incluída no seu mais recente trabalho, para perceber a razão das suas palavras. «Vejam só: 'E até chego a pensar / Que tudo é como era / Que nada acabou / E o meu pesadelo teve um fim / E vou-te encontrar / Na cama à minha espera'. Está aqui tudo! Tudo é como era quando foram as eleições e o Sócrates prometeu criar 150 mil empregos. Que nada acabou e que o pesadelo teve um fim, ou seja, que a fábrica onde eu trabalhava há 20 anos não tinha fechado e que eu ainda conseguia pagar o crédito da casa. E que ia encontrar o Sócrates na minha cama... bem, esta parte já é a chamada liberdade poética», explica o cantor.
No entanto, a reivindicação de Tony Carreira enquanto primeiro artista musical a criticar na sua obra o dirigente máximo do seu país está a ser posta em causa pelo cantor venezuelano Paquito Herrera, que afirma ter gravado há cerca de três anos o tema "Voy a Vivir Sin Ti", que dedicou a Hugo Chávez. Herrera afirma ter então escrito palavras que são agora decalcadas por Carreira: «Por exemplo, eu cantava 'En este cuarto a gritar / Sin la obtención a dormir / Para pensar que otra noche va a llegar / Y mí voy a vivir sin ti', que era sobre um amigo meu que não conseguia dormir uma vez que tinha sido preso e era torturado todas as noites porque disse que o Chávez era tão democrata como a Cicciolina era virgem». Tony Carreira diz não querer reagir a mais esta acusação de plágio, embora sempre adiante que «esse castelhano manhoso parece ter sido escrito com recurso a um tradutor online, provavelmente porque a autora desta treta não sabe falar senão português e mal... eu consigo detectar muito bem esses tradutores, porque os uso para escrever as minhas canções!»
Fonte do gabinete do primeiro-ministro não quis confirmar se José Sócrates pretende processar Carreira, embora tenha revelado que «ele aprecia bastante as canções do Tony, sobretudo aquela dos "Sonhos de Menino", porque lhe lembra o tempo em que ele sonhava ser engenheiro... ainda agora ele diz que um dia lá há-de chegar».

Etiquetas:

Lucília Gralha

0 comentário(s):

Comentar


    Arquivo 2007: fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2008: janeiro | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2009: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2010: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2011: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2012: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2013: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2014: janeiro | fevereiro | março | abril | maio | junho | julho | agosto | setembro | outubro | novembro | dezembro
    Arquivo 2015: janeiro | fevereiro | março | abril


    2007-2013, Jornal do Fundinho. CC: Atribuição / Uso Não-Comercial / Vedada a Criação de Obras Derivadas.
    Diretor: Afonso Barata   Editor de Nacional: Castro Castanheira   Editor de Mundo: Pinto da Cruz   Editor de Economia: Eufémia Saraiva   Editor de Sociedade: Arnaldo Midões
    Editor de Artes+Media: Lucília Gralha   Editor de Desporto: Manuel Feijão   Editor de Fotografia: Eugénio Calhau   Cartoonista: Duarte Bexiga
    Canal do Fundinho: José Libório   Rádio do Fundinho: Odete Antunes